Notícias

Você sabe o que acontece enquanto dorme?

Foto da matéria
Fonte: WEBMD/MEDICALNEWSTODAY.

Segundo uma pesquisa feita pelo Instituto do Sono de São Paulo com 1.025 pessoas, os brasileiros estão dormindo 1h30 a menos, em média, do que na década de 1990, e 63% têm problemas de sono, ou seja, estamos dormindo mal e muito pouco. Especialistas afirmam que muita coisa acontece no nosso corpo enquanto dormimos. Quando se adormece, o sono REM e não-REM (NREM) se revezam.

REM – rapid eye moviment significa movimento rápido dos olhos, que durante o sono faz com os olhos se movam rapidamente em diferentes direções.

Primeiro vem o sono não-REM, seguido por um período mais curto de sono REM, e então o ciclo recomeça. Sonhos tipicamente acontecem durante o sono REM.

O que acontece durante o sono não-REM?

Existem três fases do sono não-REM. Cada estágio pode durar de 5 a 15 minutos. É necessário passar pelas três fases antes de alcançar o sono REM.

Estágio 1: Seus olhos estão fechados, mas é fácil acordar. Esta fase pode durar de 5 a 10 minutos.

Estágio 2: Sono leve. A frequência cardíaca diminui e a temperatura corporal cai. Seu corpo está se preparando para o sono profundo.

Estágios 3: Este é o estágio do sono profundo. É mais difícil despertar durante esse estágio e, se alguém o acordasse, você se sentiria desorientado por alguns minutos.

Durante os estágios profundos do sono NREM, o corpo repara e cria tecidos, constrói ossos e músculos e fortalece o sistema imunológico. Ao envelhecer, o sono se torna menos profundo, mais leve e mais curto.

O que é sono REM?

Normalmente, o sono REM acontece 90 minutos depois que você adormece. O primeiro período do REM dura em média 10 minutos. A cada vez que o ciclo entre os sonos (NREM e REM) se completa, o sono REM fica mais longo, e o último pode durar até uma hora. Estudos mostram que durante o sono REM a sua frequência cardíaca e respiração se aceleram. É possível também experiências com sonhos intensos durante o sono REM, devido a alta atividade do cérebro.

Os bebês podem passar até 50% do sono no estágio REM, em comparação com adultos que passam apenas cerca de 20%. Muitas pessoas acham que o álcool pode ajudar dormir, porém trata-se de um grande engano. Um novo estudo revelou que o álcool reduz a qualidade restaurativa do sono. Especificamente, uma baixa ingestão de álcool diminuiu a recuperação fisiológica que o sono normalmente proporciona em 9,3%. O consumo moderado de álcool diminuiu a qualidade do sono restaurador em 24% e o alto consumo de álcool em até 39,2%.

Esses resultados foram semelhantes para homens e mulheres, e o consumo de álcool afetou pessoas sedentárias e ativas. Foi concluído então, que até mesmo uma dose pode prejudicar a qualidade do sono.

Normalmente, o sono REM acontece 90 minutos depois que você adormece. O primeiro período do REM dura em média 10 minutos. A cada vez que o ciclo entre os sonos (NREM e REM) se completa, o sono REM fica mais longo, e o último pode durar até uma hora.

Estudos mostram que durante o sono REM a sua frequência cardíaca e respiração se aceleram. É possível também experiência sonhos intensos durante o sono REM, devido a alta atividade do cérebro. Os bebês podem passar até 50% do sono no estágio REM, em comparação com adultos que passam apenas cerca de 20%.

Muitas pessoas acham que o álcool pode ajudar dormir, porém é um grande engano. Um novo estudo revelou que o álcool reduz a qualidade restaurativa do sono.Especificamente, uma baixa ingestão de álcool diminuiu a recuperação fisiológica que o sono normalmente proporciona em 9,3%.

O consumo moderado de álcool diminuiu a qualidade do sono restaurador em 24% e o alto consumo de álcool em até 39,2%. Esses resultados foram semelhantes para homens e mulheres, e o consumo de álcool afetou pessoas sedentárias e ativas. Foi concluído então, que até mesmo uma dose pode prejudicar a qualidade do sono. A falta na qualidade do sono está diretamente ligada a problemas de saúde, como a obesidade, doenças cardíacas e derrame.

A saúde do sono é muito importante! Para mais informações consulte o seu médico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *