Notícias

Viroses

viroses

“Quando os médicos não sabem o que uma pessoa tem, dizem que é virose.”

Nem sempre a imprensa consegue tratar questões técnicas da forma mais adequada. Recentemente um respeitado jornalista divulgou na sua coluna um comentário com o qual  reforça a crença, infundada, que quando os médicos não sabem o que uma pessoa tem, dizem que é virose. Ora, uma série de viroses têm nome, como : Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela (Catapora), Hepatite, Dengue, Zika, Poliomielite (Paralisia Infantil) etc. Mas, a quantidade de vírus é imensa e nem todas as doenças ganham um nome que permita ao médico dizer que o paciente está com isto ou aquilo. Essas centenas de vírus que produzem doenças acabam ficando anônimos, sob o guarda-chuva amplo da palavra virose. Daí a dizer que é quando o médico não sabe o que o paciente tem, vai uma grande diferença.

Em pediatria as viroses sem nome são freqüentíssimas e, portanto, é importante desfazer essa falsa impressão. Para isto, leia o texto abaixo, extraído do blog do pediatra Roberto Cooper.
TUDO É VIROSE!
Seu filho está com febre, nariz escorrendo, sem apetite. Você liga para o seu pediatra e ele diz: isso deve ser uma virose, temos que esperar uns dias. Passam-se uns dias e a febre continua, além do nariz escorrendo, apareceu uma tosse, que piora à noite e não deixa ninguém dormir. Seu marido, já impaciente, diz: melhor levar no pediatra, isso não pode continuar assim. Você marca uma consulta para o mesmo dia e o seu pediatra examina seu filho de alto a baixo. Olha o ouvido, a garganta, ausculta o pulmão, apalpa, faz perguntas, faz mais perguntas e, no final diz: isso deve ser uma virose mesmo. Temos que esperar mais uns dias.

Você sai do consultório e liga para a sua mãe que já estava aflita com a febre do neto (Medo de Febre) e você diz, disfarçando a sua ansiedade: ele disse que não é nada de mais. Só uma virose. Do outro lado da linha sua mãe, um pouco exaltada responde: mas será que hoje em dia tudo é virose? Quando o médico não sabe o que é, diz que é virose!

Esse é um relato fictício, mas bem que poderia ser verdade. O fato é que os virus existem e são agentes infecciosos, não bacterianos. Eles só se multiplicam dentro das céluas vivas de um organismo. Células que eles (os virus), invadiram (infectaram). Virus infectam todos os tipos de organismos vivos: animais, plantas e, também, bactérias!

Os virus, em geral, são feitos de tres partes. O material genético que pode ser um DNA ou RNA, uma capa de proteína que envolve esse material genético e, em alguns casos, um envelope de lipídios por fora da capa de proteína. Virus são tão pequenos que não conseguem ser vistos em microscópios comuns (veja o esquema no final deste post).

Os virus podem infectar uma pessoa pela ingestão, inalação ou contato. Penetram na célula porque precisam desta para produzir as substâncias que necessitam para a sua replicação e ciclo de vida. Fora de células, os virus ficam inativos ou “adormecidos”. Quando invadem células, provocam no organismo uma série de reações de defesa, incluindo febre e nos casos de virus respiratórios, mais comuns na infância, coriza e tosse.

Existem mais de 5000 virus que já foram bem descritos ou estudados em detalhe. No entanto, existem milhões de diferentes tipos espalhados na natureza. Talvez seja o tipo de entidade biológica mais abundante em todos os ecossistemas.  Alguns virus ficaram mais conhecidos de todos nós: sarampo, catapora, rubéola, hepatite, caxumba, HIV, HPV entre outros. Para muitos destes, existem vacinas que protegem as pessoas durante suas vidas.

Como curiosidade, a palavra virus vem do latim, onde significa veneno! Os virus não são uma novidade. Em 1892 um pesquisador russo descreveu uma agente infectante não bacteriano em plantas de tabaco.

Portanto, a próxima vez que seu pediatra disser que seu filho provavelmente tem uma virsose, saiba que não é uma “invenção” de quem não tem um diagnóstico. Virose é um diagnóstico.

Duas coisas muito importantes para você se lembrar:

1- Para as viroses mais comuns, como resfriados e gastroenterites, não há medicação específica. Antibióticos não funcionam em casos de virose.

2- O corpo humano leva em torno de 6 a 10 dias para se curar de uma virose. Alguns sintomas, como a tosse, duram mais dias. Nesse período, a melhor receita é a de nossos avós: repouso, muito líquido, paciência e caldo de galinha!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *