Dr. Newton Richa

Programa Saúde do Futuro

Por Dr. Newton Richa

Tecnologias para Saúde

Giselle Felix
Fisioterapeuta

À medida que nos movemos para um cenário de assistência médica cada vez mais personalizado para alguns pacientes, tanto no tratamento quanto no serviço, também precisamos nos certificar de que estamos expandindo o acesso para que mais pessoas possam se beneficiar de suas vantagens. O objetivo de fazer conhecidas as principais tecnologias para saúde em nossa coluna é levar informação, aguçar a curiosidade, e convidar  usuários pacientes e profissionais da área de saúde ao novo mindset onde a transdisciplinaridade é fundamental para seguirmos em frente, em direção aos avanços em melhorias para Saúde, pois para trás, não será mais possível (considere que os especilistas chamam essa era de 4ª Revolução Industrial). Dessa forma, reunimos na Coluna, algumas tendências para a Saúde do Futuro, segundo sites especializados:

  • (1)
  • (2) Batalha tecnológica contra o Diabetes

Segundo as últimas estimativas da OMS, 422 milhões de pessoas sofrem de diabetes em todo o mundo – e o número está crescendo de forma constante. Devemos intensificar nossos esforços pelo menos contra o diabetes tipo 2, que pode ser evitado com escolhas conscientes de estilo de vida. A saúde digital oferece uma grande ajuda tanto na gestão do diabetes quanto na sua prevenção. Falaremos mais profundamente sobre como isso é possível através de exemplos de dispositivos vestíveis, no item abaixo.

 

  • (3) Rastreadores Wearable – Dispositivos Digitais Vestíveis

De acordo com estimativas, 245 milhões de dispositivos portáteis serão vendidos em 2019, assim, conjuntos de dados mais precisos sobre nosso estilo de vida através de rastreadores e wearables estarão disponíveis. É inevitável que as seguradoras tentem utilizá-las. Mais e mais empresas seguirão sua liderança e adicionarão sensores a seus programas para recompensar o comportamento saudável.

Os dados capturados por esses gadgets estão desempenhando um papel cada vez mais poderoso na área da saúde, pois eles podem gerar dados em tempo real sobre os pacientes e permitir que eles relatem seus próprios sintomas subjetivos com mais precisão.

Para exemplificar seu funcionamento, falaremos de um aplicativo gratuito recém-lançado, que ajuda pacientes com câncer a se conectarem com seus entes queridos, a gerenciar compromissos e a registrar como estão se sentindo. O aplicativo também sincroniza com wearables de fitness, permitindo que os pacientes compartilhem um retrato mais completo de sua saúde com os médicos. Outro exemplo de aplicativo é um focado em pacientes com hemofilia, que se trata de um dispositivo para monitorar a atividade e a freqüência cardíaca, além de infusões de registro e episódios de sangramento. Essas informações detalhadas permitirão que os profissionais de saúde ofereçam atendimento personalizado e também capacitem os pacientes a assumir um papel mais ativo no gerenciamento de sua própria saúde.

 

  • (4) Uso de Realidade Virtual na educação médica

A realidade aumentada e virtual tem um grande potencial para reformar a educação médica. Mais e mais aplicativos e programas aparecem para ajudar os estudantes de medicina a aprender anatomia ou praticar procedimentos cirúrgicos. Por exemplo, uma superfície de dissecação virtual para ensinar anatomia. Ou através de lentes especiais que tornam órgãos, veias ou ossos visíveis em 3D.

 

  • (5) Impressão 3D

Discussões regulatórias se intensificam à medida que os tecidos bioprinting se aproximam da realidade. Como os primeiros produtos bioprintados devem chegar à FDA em 2019, veremos muitas discussões regulatórias sobre a bioprintificação 3D em 2018.

 

  • (6) Inteligência Artificial (A.I.)

O poder computacional da A.I. (Artificial Intelligence) ​​reduzirá drasticamente o tempo que os cientistas gastam analisando dados e testando combinações moleculares enquanto ajustam fórmulas e desenvolvem novas. Os laboratórios farmacêuticos de P & D (Pesquisa & Desenvolvimento) já estão usando A.I. para prever as relações entre os mecanismos biológicos e os sintomas das doenças. A A.I. tem o potencial de melhorar o diagnóstico e os planos de tratamento dos pacientes também.

Embora a A.I. já esteja prosperando na área da saúde, assim como o surgimento das inúmeras empresas que oferecem suas soluções, devemos esperar ver mais artigos científicos em 2018 que comprovem seus casos de uso. É importante que estes estabeleçam a base para sua utilização na área da saúde e sustentem sua credibilidade como uma ferramenta médica inovadora e útil. Além disso, os chatbots baseados em A.I. se tornarão mais sutis e responsivos. Eles navegarão em direção ao nível de parceiros empáticos de conversação.

 

  • (7) Blockchain para criptografar dados

O blockchain é tanto uma palavra da moda em 2017 quanto o A.I., mas há muitas maneiras de se alavancar na tecnologia complicada dos serviços de saúde, por exemplo, no gerenciamento de registros médicos, segurança de dados ou gerenciamento da cadeia de suprimentos farmacêutica.

  • (8) Imuno-oncologia

Considere o campo da imuno-oncologia uma vertente promissora da pesquisa do câncer que estimula o sistema imunológico do corpo a combater a doença. Ao contrário das abordagens tradicionais, como a radioterapia e a quimioterapia, que matam as células saudáveis juntamente com as cancerosas, as imunoterapias direcionam as células cancerígenas melhorando a capacidade inata do corpo de combater invasores desonestos.

 

  • (9) Terapia de genes

Outra área em expansão na área da saúde é a terapia genética, que tem como alvo um gene ausente ou não funcional no DNA de um paciente e o adiciona ou substitui por um gene funcional que pode produzir uma proteína necessária. Posteriormente, os tecidos ou células afetados que dependem dessa proteína poderão funcionar normalmente. Idealmente, o paciente não precisará de tratamento contínuo.

  • (10) Medicina personalizada

A medicina personalizada adaptada às necessidades exclusivas, a composição genética e o estilo de vida de cada paciente continuarão sendo uma tendência importante na área da saúde. Passar por uma abordagem única pode levar a menos intervenções ineficazes e melhores resultados. Por exemplo, um relatório recente da PriceWaterhouseCoopers descobriu que o uso de um teste genético em pacientes com câncer de mama reduziu o uso de quimioterapia em 34%.

O ano de 2018 está apenas começando, e com certeza trará mais inovações com a promessa de melhorar a vida das pessoas. Vamos trabalhar duro, seja como pacientes, médicos, empresários, decisores políticos ou pesquisadores, para tirar o máximo proveito da saúde digital que vem pela frente. Tudo indica que as Tecnologias para Saúde vem para empoderar as pessoas ao autogerenciamento de sua saúde e ajudar os porfissionais na busca de soluções com maior assertividade, de forma mais rápida, para garantir um tempo de qualidade nos atendimentos, onde a prioridade é ter o paciente no centro da solução dos problemas, e com mais qualidade de vida.

Sites usados como fonte de pesquisa:

https://www.weforum.org/

http://medicalfuturist.com/

http://saudebusiness.com/

http://nacoesunidas.org/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *