Notícias

Seminário de Regulação ambulatorial apresenta avanços e desafios para o setor

Treinamento reuniu técnicos dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro

André Vaz Regulação
Por: SaúdeRj

Representantes de 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro participaram nesta quinta-feira (30/10), no Hospital Municipal Souza Aguiar, do Seminário de Regulação Ambulatorial. O evento foi realizado pela Secretaria de Estado de Saúde, pela Secretaria Municipal de Saúde e pelo COSEMS (Conselhos de Secretarias Municipais de Saúde) e teve como objetivo qualificar os profissionais e avaliar os avanços do processo de unificação das internações no estado que aconteceu em 2018. Também foram discutidos os protocolos de acesso aos serviços da capital e os ofertados às demais cidades fluminenses, além dos desafios para o setor.

– A regulação é complexa em virtude de várias características regionais que devem ser respeitadas. Hoje, nos reunimos com o propósito de melhorar ainda mais a organização do sistema para reduzir os vazios de oferta ao cidadão. O estado tem ajudado os municípios com o co-financiamento, ampliando os serviços – disse o superintendente de Regulação do Estado, André Vaz, que participou da mesa de abertura.

Clarice Gerbassi, coordenadora do REUNI – unificação das filas de todo o estado dos serviços ambulatoriais de alta complexidade e estratégica – fez a apresentação em nome da SES. Ela destacou o fluxo para a regulação do paciente, que passa pelas unidades de saúde até chegar ao médico regulador que finaliza com o agendamento. Ela também enfatizou o atendimento regionalizado (perto da casa do solicitante), a uniformização dos procedimentos e o diagnóstico precoce como desafios para o setor.

Sônia Capelão, da Secretaria Municipal de Saúde, apresentou o modelo para inserção do paciente no sistema. Falou que o SISREG-Rio agenda 50 tipos de exames diferentes e 160 modalidades de consultas e que é grande a demanda para as cirurgias plásticas reparadoras de mana e de abdômen. Utilização do sistema, código de identificação, estado clínico e pesquisa também foram temas apresentados aos participantes do seminário.

Segundo informações da Prefeitura do Rio, com a mudança ocorrida em 2018, envolvendo esforços da SMS e da SES, os serviços aos municípios foram ampliados nas unidades da rede públicas federal e universitária, passando 6 mil para 9 mil/mês.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *