Notícias

Saúde pública: você sabe o que é?

28933_2_EL
Por: Maylaine Nierg

Em 07 de abril é comemorado o Dia Mundial da Saúde, data criada com o objetivo de estimular debates e trazer soluções para a constante melhoria desse setor. Afinal, sem saúde as pessoas ficam impossibilitadas de exercerem inúmeras outras funções sociais, o que pode causar impacto negativo em diversos outros setores de uma nação.  Desse modo, pode-se dizer que a saúde é a base de uma sociedade e, por isso, deve ser tratada como prioridade pelo poder público.

“Mas, afinal, o que saúde pública?”. Esse é o questionamento levantado pelo Médico do Trabalho Newton Richa, membro do Conselho do Observatório da Saúde. Richa explica que a definição de saúde pública no Brasil tem sido posta de forma equivocada.

“No Brasil, fomos acostumados a pensar que saúde pública é hospital público. Mas esse não é o significado correto. Existe uma definição internacional, apresentada em 1988, onde se explica que saúde pública é o conjunto de todos os fatores que envolvem não só o tratamento, como também a prevenção de doenças e a contribuição para o bem-estar da sociedade. Logo, para melhorar a saúde da população brasileira é fundamental que os governantes entendam a amplitude desse conceito”, afirma o médico.

Newton se refere a descrição apresentada, em 1988, pelo ex-diretor Médico do Reino Unido, Donald Acheson, no Relatório da Comissão de Inquérito sobre o Futuro Desenvolvimento para a Função de Saúde Pública. Nessa definição, Acheson aponta saúde pública como “a arte e a ciência de prevenir doenças, prolongar a vida e promover a saúde através dos esforços organizados da sociedade”.

Em outras palavras, a promoção da saúde pública deve ser trabalhada de forma a proporcionar condições para que as pessoas vivam de modo saudável. Isso pode ser feito, por exemplo, através de campanhas de saúde voltadas para o coletivo, ou da prestação de serviços pessoais como vacinação, aconselhamento de saúde e aconselhamento comportamental.

Algumas dessas diretrizes já são seguidas no Brasil, mas o que os especialistas apontam é que o principal foco do conceito brasileiro de saúde pública ainda é muito mais voltado para tratamento ou erradicação de doenças, do que para a prevenção.

O SUS Brasileiro e o exemplo da União Européia

O Brasil possui um sistema de saúde universal (SUS), cujo conceito é inspirado, no exemplo do Serviço Nacional de Saúde da União Europeia (NHS), que é um dos mais bem-sucedidos de todo o mundo. Porém, existem diferenças significativas entre esses dois sistemas, que mostram que o Brasil ainda tem muito que avançar nesse aspecto.

Na União Europeia, o orçamento público para a saúde é consideravelmente superior ao do Brasil. Pesquisas mostram que, em 2017, o Governo Britânico reservou cerca de R$ 560 bilhões para a saúde. Nesse mesmo período, a quantia liberada pelo Governo Brasileiro para o Ministério da Saúde foi de R$ 125,3 bilhões.

Em entrevista a Agência Brasil, o britânico Thomas Hone, do Departamento de Atenção Primária e Saúde Pública do Imperial Collegede Londres, explicou que os investimentos em saúde na Inglaterra correspondem a um gasto anual de US$ 4.350 dólares por pessoa, enquanto no Brasil a média fica em US$ 750.

Outros exemplos de sistemas de saúde como perfis semelhantes ao SUS e ao NHS são Portugal, Canadá, Austrália, França e Suécia.  Vejamos um pouquinho sobre como cada um funciona:

Para Newton Richa, o modelo de Saúde da União Europeia é um grande exemplo, não apenas pela administração do setor em si, como também pela forma abrangente como a saúde é encarada no país.

Outras fontes:

http://www.euro.who.int/en/health-topics/Health-systems/public-health-services

http://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2018-04/especialistas-de-quatro-paises-defendem-sistemas-de-saude-public

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *