Isis Breves

Saúde Coletiva

Por Isis Breves

Por que e para que uma coluna de Saúde Coletiva?

Isis Breves

A proposta da Coluna Saúde Coletiva do Portal Observatório da Saúde RJ é tratar de temas da saúde pública do campo da saúde coletiva. Mas, qual é a diferença entre saúde pública e saúde coletiva?

Essa reflexão está presente em diversos artigos científicos publicados por pesquisadores que se empenham para a definição dos termos, a teoria, a prática e demais assuntos relacionados a temática.

Em resumo, a Saúde Pública consiste em um conjunto de ações e serviços de caráter sanitário que tenham como objetivo prevenir ou combater doenças ou quaisquer outros cenários que coloquem em risco a saúde da população. É dever do Estado, e isso envolve as esferas federal, estadual e municipal, assegurar serviços e políticas voltadas para a promoção da saúde e bem-estar da população.

A Saúde Coletiva traduz um movimento sanitário de caráter social que surgiu no SUS, composto da integração das ciências sociais com as políticas de saúde pública. A saúde coletiva identifica variáveis de cunho social, econômico e ambiental que possam acarretar no desenvolvimento de cenários de epidemia em determinada região, por meio de projeções feitas através da associação dos dados socioeconômicos com os dados epidemiológicos é possível elaborar uma eficiente política de prevenção de acordo com as características da região. Toda saúde pública é coletiva!

Historicamente, a Saúde Coletiva surgiu no final da década de 1970, em um movimento da Reforma Sanitária vinculada à luta pela democracia no país.

Nessa coluna, traremos temas da saúde pública do campo da saúde coletiva, ou seja, assuntos de preocupação para a sociedade como os surtos, epidemias e pandemias e endemia, sem apontar os determinantes sociais da saúde.

Não se pode falar de saúde sem entender o social-econômico de uma população para prever políticas públicas. Para finalizar este primeiro artigo inaugural da coluna, registro aqui que aconteceu no campus da Fiocruz, em Manguinhos, Rio de Janeiro, o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva). Em comemoração aos 30 anos da Constituição Cidadã, que deu origem ao SUS no Brasil, o “Abrascão” (como é carinhosamente chamado o congresso) teve como tema “a defesa das conquistas da saúde coletiva, do SUS, dos direitos e da própria democracia brasileira, de forma a proteger e aperfeiçoar os avanços conquistados”. O evento ocorreu de 26 a 29 de julho e contou com a participação de pesquisadores de diversas áreas, profissionais e trabalhadores da saúde, gestores e técnicos da saúde, além de militantes de movimentos sociais e de entidades da sociedade civil.

Dos 7.913 trabalhos submetidos, foram 5.653 resumos aprovados, representando 72% do total de submissões. Do universo selecionado, 3.933 resumos foram aprovados como comunicação oral curta, com duração de 5 minutos; 1.666 como comunicação oral, com apresentação de até 10 minutos e 54 na categoria outras linguagens envolvendo vídeo, teatro e outros suportes.
A coluna irá trazer os temas premiados como relevância para a coluna. Vem coisa boa por aí… Aguardem!

3 comentários em "Por que e para que uma coluna de Saúde Coletiva?"

  1. Camila Barbosa disse:

    Muito bom.

  2. Marcio Meirelles disse:

    Um dos principais obstáculos à plena implementação do SUS é a dificuldade em fazer chegar à sociedade em geral os conhecimentos resultantes dos estudos acadêmicos. Ou seja: como fazer que a população compreenda que o SUS – e não o plano privado de saúde – é, efetivamente, a melhor solução. A coluna “Saúde Coletiva” será, por certo, instrumento importante na superação desse problema.

  3. Seria interessante definir, também, Saúde Populacional, “Population Health”, atribuída a grupos com características e comportamentos semelhantes…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *