Notícias

Plástico é considerado uma das principais ameaças ambientais da atualidade

shutterstock_150820259
Por: Equipe da Redação
redacaoobservatorio@gmail.com

As questões de maior impacto ambiental, geralmente, são consequências de atitudes simples que os seres humanos adotam no seu dia-a-dia. Quem, durante uma ida ao supermercado, consegue imaginar que um gesto comum, como empacotar mantimentos em inúmeras sacolas plásticas, pode ser o início de uma ameaça aos seres vivos existentes no oceano? Ou que, ao se desfazer de garrafas pets descartando-as no lixo comum pode estar desencadeando a morte de milhares de animais ao redor do mundo? Parece exagero, mas essas são, apenas, algumas das consequências da ausência de reflexão sobre os resultados das ações humanas no meio ambiente.

Todos os anos, cerca de 8 milhões de toneladas de compostos plásticos são depositadas no oceano, criando uma ilha tóxica e gigantesca de resíduos. Foi pensando em combater esse problema, que a Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu o tema #AcabeComAPoluiçãoPlástica para orientar as ações, desse ano, do Dia Mundial do Meio Ambiente (05/06).

De acordo com o médico Newton Richa, membro do Conselho Consultivo do Observatório da Saúde e representante da UFRJ na Comissão Nacional de Segurança Química, os consequeências da utilização inadequada do plástico são prejudiciais não só para os animais, mas também as pessoas de modo geral.

“O relatório “ONU identifica plástico descartável a mais de 10 Km de profundidade no mar” alerta para a ameaçadora dispersão desses materiais no planeta, com sérios impactos diretos na biologia marinha, e indiretos no resto da natureza, onde estão inclusos os demais seres vivos”, ressalta o médico.

O plástico e a poluição química

O consumo inconsciente de materiais plásticos é um dos responsáveis pela poluição química, que segundo Richa, é um dos problemas ambientais mais graves dos últimos tempos.

Alguns tipos de plástico levam cerca de 400 anos para se deteriorar, e quando isso ocorre, a poluição pode ser ainda maior. Ao se decompor, esses materiais liberam elementos tóxicos como o estireno trímero, Bisfenol A e um produto a base de poliestireno. O resultado da dispersão dessas substâncias é a poluição química.

Entre as toxinas liberadas por materiais plásticos, uma das mais nocivas é o Bisfenol A, presente na maioria dos plásticos, inclusive em utensílios de cozinha. Segundo informações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, essa substância pode ser cancerígena e ocasionar problemas hormonais e cardíacos.

O médico explica que é dever das empresas sinalizarem a presença de substâncias químicas nos materiais fabricados por elas e indicar o passo-a-passo para prevenir a contaminação. No caso do Bisfenol A, essa sinalização pode ser feita através dos símbolos de reciclagem com os números 3 e 7.

“Hoje a principal causa de mortes e de doenças no mundo é a poluição química. É importante informar a população a respeitos dos perigos relacionados às substâncias. Deve-se explicar se ela é explosiva, irritante ou tóxica, como é o caso de muitos materiais plásticos”.

Descarte correto, redução e reciclagem

No que diz respeito a responsabilidade da população, é fundamental que as pessoas entendam que, em hipótese alguma se pode jogar objetos plásticos em lixo comum. Eles devem sempre ser descartados em locais específicos para reciclagem. Outra alternativa importante é tentar entender como é possível reduzir o consumo desses materiais, como, por exemplo, a utilização de sacolas retornáveis nos supermercados.

Um comentário em "Plástico é considerado uma das principais ameaças ambientais da atualidade"

  1. Acyr Gonçalo Cunha disse:

    Todo esforço deve ser aplicado em novas tecnologias para embalagens biodegradáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *