Notícias

OMS sugere mudar hábitos alimentares e sair do sedentarismo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sugeriu que, para começar o ano de uma forma mais saudável, é preciso criar hábitos alimentares equilibrados e praticar atividades físicas regularmente.

O objetivo é reduzir o índice de doenças causadas pela má alimentação e pelo sedentarismo, como por exemplo, obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. A OMS deu algumas dicas de como isso pode deixar de ser uma meta de ano novo e passar a ser realidade.

A primeira sugestão é ingerir uma variedade maior de alimentos, isto é, consumir todos os grupos alimentares: cereais, leguminosas, hortaliças, frutas, carnes, ovos, leite e derivados, e gorduras boas (como a encontrada no azeite, por exemplo). Desta forma, o indivíduo terá acesso a todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo.

Outra dica importantíssima é diminuir o consumo de açúcar. Os alimentos ricos nessas substâncias não são proibidos, mas em excesso podem causar doenças como diabetes e obesidade. Mel, açúcar mascavo, açúcar de coco e adoçantes naturais, como stevia e xilitol, são algumas alternativas naturais para substituir o açúcar branco.

O excesso de sódio – presente em alimentos ricos em sal – também é um fator de alerta, pois é ele um dos maiores responsáveis pelo aumento da pressão arterial e pelo desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A recomendação da OMS é que o consumo diário não ultrapasse seis gramas. É possível substituir temperos industrializados, repletos de sódio, por temperos naturais, como alho, pimenta, manjericão, cebola, salsinha, entre outros.

As gorduras, por sua vez, podem ser de dois tipos: saturadas (ruins) e insaturadas (boas). Aquelas saturadas (ou trans) estão presentes em alimentos como óleos hidrogenados, manteigas, cremes de leite, iogurte, bacon, biscoitos, além de carnes vermelhas e carnes de aves. É necessário tomar cuidado com a peridiocidade em que se ingere esses alimentos. De forma esporádica e moderada, não há grandes danos à saúde.

Por outro lado, em excesso, esse grupo alimentar pode aumentar riscos de obesidade, AVC e doenças cardíacas. O ideal é adotar algumas substituições, como: iogurtes desnatados, frutas e sanduíches naturais de pão integral; carnes vermelhas com cortes menos gordurosos ou carnes brancas sem pele (peixes e frangos); óleos vegetais, além  de alimentos ricos em gordura boa, como azeite de oliva extra virgem, linhaça, castanhas e amêndoas. O açaí também é uma boa escolha, por ser antioxidante e por ser rico em ômegas 3, 6 e 9.

A OMS alerta ainda sobre os perigos da grande ingestão de álcool. Bebidas alcoólicas aumentam as chances de doenças no fígado, câncer e doenças mentais. Não há um nível seguro exato de ingestão, por isso, a sugestão é que o consumo seja sempre consciente e moderado.

Além de mudar os hábitos alimentares, é fundamental buscar uma atividade física que tenha a ver com você, que se encaixe na sua rotina e que te traga bem-estar. Comece o ano com o pé direito e mude seus hábitos!

Um comentário em "OMS sugere mudar hábitos alimentares e sair do sedentarismo"

  1. Marcio Meirelles disse:

    Maus hábitos alimentares e sedentarismo são fatores fundamentais para o adoecimento da população. É preciso ter consciência de que as políticas públicas necessárias para superá-los só serão adotadas por pressão da sociedade. E “a sociedade” somos nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *