Notícias

Novembro Azul é um sinal de alerta para a saúde dos homens

Clinipam_cancer-de-prostata-1
Por Fernanda Machado (estagiária)*

 

Anualmente, o mês de novembro é integralmente dedicado ao alerta e à conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção do câncer de próstata, o tipo mais frequente entre os homens brasileiros, depois do câncer de pele. Para o Dr. Rodrigo Frota, Presidente da Regional Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU-RJ), a importância da campanha Novembro Azul é a de promover a conscientização da população geral, principalmente masculina, sobre a prevenção da saúde do homem, uma vez que eles, por cultura, têm menos hábito de procurar assistência médica.

— O número de mortes no Brasil é de dois homens para cada uma mulher. O homem tem sete vezes mais chances de ter doenças metabólicas, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, do que a mulher. Então, a campanha é fundamental para alertar sobre isso — informou o especialista. 

A incidência de câncer de próstata no Brasil é alta, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca). São esperados cerca de 65 mil novos casos no país no próximo triênio (2020, 2021 e 2022). De acordo com o Dr. Rodrigo Frota, trata-se de um câncer altamente prevenível, em que 90% dos casos diagnosticados na fase inicial são curáveis. Na fases intermediária e avançada, cerca de 20 a 25% dos pacientes acabam morrendo da doença.

Numa análise a médio prazo retrospectiva, o número de incidência cresceu pois, ao longo dos anos, aumentou a conscientização, prevenção e o rastreamento anual, o que é importantíssimo. A probabilidade de cura também é maior porque diversas doenças, como o câncer de próstata, vêm sendo diagnosticadas cada vez mais cedo.

— Com o atual período pandemia e todo o medo em torno dele, o grande receio da SBU é que isso dificulte o diagnóstico precoce de enfermidades, já que houve uma queda significativa nas consultas médicas e na realização de exames de rotina — declarou o médico. 

Infelizmente, os homens ainda possuem muito preconceito com a questão do câncer de próstata, sobretudo, devido ao fato de que para o rastreamento é imprescindível que se faça a dosagem sanguínea do PSA (Antígeno Prostático Específico) e o exame de toque retal. Além disso, há uma barreira na questão do acesso, isto é, boa parte da população não tem plano de saúde e precisa usar o Sistema Único de Saúde (SUS) que, infelizmente, não possui urologistas nos principais centros de atendimento.

Segundo o Dr. Rodrigo Frota, a melhor forma de prevenção do câncer de próstata é a política de rastreamento.

— Todo homem a partir de 50 anos deve fazer uma consulta anual com um urologista. Nela, constará a história clínica, o exame de sangue (PSA) e o toque retal. O toque retal, por exemplo, é imprescindível porque cerca de 25% dos pacientes, que têm câncer de próstata, podem apresentar o PSA normal, sendo necessário fazer o exame do toque. Para os pacientes com fatores de risco e/ou histórico familiar, raça negra, obesidade ou sedentarismo, essa avaliação deve ser antecipada em cinco anos, ou seja, deve ser realizada a partir dos 45 anos — explicou.

O suporte familiar é fator fundamental também. É notável que os pacientes que têm a família presente costumam fazer exames regularmente, estão sempre com os cuidados de saúde em dia e, quando apresentam alguma doença, ela é diagnosticada numa fase inicial. Então, o paciente acaba sendo curado posteriormente.

A família é capaz de proporcionar não só o suporte clínico, mas também o psicológico que, no momento do diagnóstico e durante o tratamento, é importantíssimo.

Por fim, Dr. Rodrigo Frota explicou que a palavra câncer é muito mais assustadora do que a doença em si, que é crônica assim como tantas outras. Se descoberta precocemente, não há com o que se preocupar. Durante esse mês, conscientize-se e passe a diante.

 

*Sob a supervisão de Juliana Temporal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *