Notícias

Nova unidade de saúde no Catete

Instituto de Medicina e Cidadania, que presta serviços médicos no Flamengo e na Gávea, abrirá posto na Tavares Bastos

Por Hugo Limarque
O Globo – 28/07/2018

Com base na Glória e uma atuação voltada para serviços médicos gratuitos em favelas da cidade, o Instituto de Medicina e Cidadania (IMC) completou dois anos de atividades na última sexta-feira, e ganhou um bom motivo para levar sua história adiante. A organização sem fins lucrativos, que já conta com dois postos de atendimento — nas comunidades do Morro Azul, no Flamengo, e Parque da Cidade, na Gávea —, fechou uma parceria com o Consulado Geral da Alemanha no Rio para abrir uma terceira unidade, na favela Tavares Bastos, no Catete. A previsão é que ela seja inaugurada em aproximadamente dois meses.

O acordo foi oficializado no início do mês e é resultado de um edital aberto pelo consulado para atender a projetos de pequeno porte que tivessem como focos o desenvolvimento sustentável e o apoio a populações carentes — contando com o IMC, serão seis beneficiados neste ano. A iniciativa, proposta pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, vai render um aporte de R$ 14 mil ao instituto, que será usado para reformar e mobiliar duas salas de atendimento da nova dependência. De acordo com uma representante do consulado, a abordagem do governo alemão estabelece conexões além das institucionais e contribui para a promoção da justiça social.

— A organização optou pela Tavares Bastos por conta da proximidade em relação ao Morro Azul, onde os serviços já são prestados há mais tempo. Só que o imóvel que receberia o posto estava muito prejudicado e precisava de reparos, por isso o IMC foi atrás de investimentos. No momento, as obras estão na fase inicial — explica o gastroenterologista e clínico-geral Felix Zyngier, que é diretor-médico do instituto, coordenador da unidade do Morro Azul e futuro responsável pelo setor médico na Tavares Bastos.

A assistência em saúde conduzida no Instituto de Medicina e Cidadania é totalmente voluntária. Os médicos, dentro de suas áreas de atuação, se limitam ao chamado atendimento primário, que se resume a procedimentos de baixa complexidade. Se o paciente precisar de um cuidado mais específico ou se o problema não fizer parte das especialidades oferecidas no posto, ele é encaminhado ao consultório particular de um dos 15 profissionais associados à organização, que realizam as consultas sem cobrar nada. Os objetivos do projeto são levar saúde de qualidade a pessoas de baixa renda, colaborar com a rede pública e auxiliar na formação de novos médicos.

Atualmente, o serviço prestado pelos voluntários do posto e dos consultórios se aplica somente à unidade do Morro Azul — o do Parque da Cidade conta apenas com atendimento psicológico e, mesmo com a inclusão de um setor na Tavares Bastos, deve continuar sem médicos para tratar de problemas somáticos. O IMC, no entanto, planeja mudanças no quadro de funcionários: com a chegada de uma nova doutora no Morro Azul, Zyngier vai dividir seus dois dias de expediente entre o Flamengo e o Catete, com 15 a 20 consultas por vez. Ao todo, serão três médicos no Morro Azul e um na Tavares Bastos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *