Notícias

Menopausa: cuidados e sintomas

shutterstock_1593921532-scaled
Por Juliana Temporal

 

A menopausa é um período da vida das mulheres marcado por dúvidas e incômodos que afetam diretamente a qualidade de vida. Apesar de apresentar algumas dificuldades, a menopausa é um processo natural e não uma doença. Quanto maior for o acesso das mulheres a informações sobre essa fase, maiores são as chances de enfrentá-la de uma forma mais serena.

Em entrevista ao Observatório da Saúde, a ginecologista Vera Fonseca, membro da Sociedade de Ginecologia do Estado do RJ (Sgorj), falou sobre os cuidados, sintomas e tratamentos durante a menopausa.

 

O que é menopausa? A partir de que idade ela acontece? Como ela afeta a saúde das mulheres?

A menopausa é um evento. Um evento único que nós determinamos como a última menstruação da vida de uma mulher, é quando se encerra o período de menacme, que é o período de vida fértil. Esse período de vida fértil vai desde a menarca até a menopausa, isto é, a menarca é a primeira menstruação, e a menopausa é a última menstruação. Com isso, só podemos dizer que uma mulher entrou na menopausa ou está na menopausa, um ano após a sua última menstruação. É essa última menstruação que damos o nome de menopausa. Então, uma mulher está na menopausa após doze meses sem menstruar.

A idade em que a menopausa acontece é variável. A grande maioria das mulheres para de menstruar em torno dos 45 aos 55 anos. Abaixo de 45 anos, dizemos que a paciente teve uma menopausa precoce, e mais 55, uma menopausa tardia. A menopausa não afeta a saúde da mulher, pois é um ato fisiológico. Da mesma forma que a menstruação se inicia, um dia ela acaba, o período de fertilidade termina. No entanto, aos 45, 50, 55 anos, ocorrem outras transformações no corpo da mulher que podem provocar, nesse período, outras doenças, mas isso não quer dizer que estejam ligadas à menopausa. Por exemplo, aos 50 anos, temos mais chances de ter hipertensão arterial, diabetes, alterações do metabolismo, aumento de colesterol, osteopenia, osteoporose.  São consequências compatíveis com a faixa etária.

 

Menopausa e climatério são a mesma coisa?

Climatério não é a mesma coisa que menopausa. O climatério é a fase em que se engloba o final dos ciclos menstruais e também o período logo após a menopausa. É quando a mulher apresenta alguns sintomas que são característicos, como ciclos menstruais alterados, já mais irregulares, o aparecimento dos calores – conhecidos como fogachos –, entre outros.

Quais são os principais sintomas? Todas as mulheres sentirão os mesmos sintomas? Ou é possível que algumas não sintam qualquer desconforto?

Em relação à sintomatologia do climatério, ela difere muito de mulher para mulher. Algumas mulheres vão realmente ficar mais sintomáticas e outras mulheres passam por esse período praticamente sem apresentar nenhum sintoma. Os principais sintomas são os fogachos, ressecamento vaginal, ressecamento da pele, alteração de humor, diminuição da libido e do desejo sexual, além, é claro, da irregularidade do ciclo menstrual.

 

Qual é o tratamento? Todas as mulheres precisam de reposição hormonal? Quais são as contraindicações para a reposição?

Não existe a obrigatoriedade de todas as mulheres receberem reposição hormonal. A reposição deve ser indicada conforme a sintomatologia de cada paciente. Há mulheres que têm uma sintomatologia importante e que se deve fazer a reposição hormonal e outras não. Lembrando que a reposição hormonal deve ser realizada por médico, de preferência um ginecologista, que vai olhar a mulher como um todo. Antes de prescrever qualquer reposição hormonal, é necessária a realização de alguns exames importantes, principalmente para rastrear cânceres. É importante que a paciente faça uma citologia para rastrear o câncer de colo uterino, que é o exame de papanicolau; que realize mamografia para avaliar como está o status das mamas; e sempre que possível, realizar uma dosagem de colesterol e da glicemia.

Existem contraindicações formais para realização da reposição hormonal, como câncer de mama, algum evento passado de trombose venosa profunda, embolia pulmonar, algumas doenças hepáticas e câncer de endométrio.  Hipertensão arterial e diabetes mais graves também são patologias que tem contraindicação para a reposição.  O que realmente se deve pensar é se a paciente será ou não beneficiada pela reposição hormonal. Quando me refiro à reposição hormonal, estou falando mais sobre a sistêmica, aquela que é usada através de medicação via oral ou transdérmica. Normalmente, a reposição via vaginal, que objetiva melhorar o ressecamento da vagina, para tratar o que chamamos de uma atrofia geniturinária, essa não apresenta tantas contraindicações. Então, ela, às vezes, pode ser utilizada com mais frequência, mas mesmo assim é fundamental o exame físico da paciente.

 

Depois da menopausa, a mulher precisa continuar fazendo acompanhamento ginecológico?

Toda mulher deve realizar o seu exame ginecológico uma vez ao ano, independentemente da sua idade.  Muitas vezes, ouvimos falar, e está correto, que depois de 65 anos, não deve ser realizada rotineiramente a coleta do material para citologia oncótica, para o exame de papanicolau. Essas pacientes já podem ser dispensadas desse exame complementar, mas apenas desse. O exame físico completo, ginecológico, deve ser feito uma vez por ano. É importante que a paciente realize não só o exame ginecológico, mas faça avaliação para ver se tem quadro de hipertensão arterial e diabetes, para a prevenção do câncer de intestino, que também são muito prevalentes nessa faixa etária.

 

O que a mulher deve fazer para passar bem pela menopausa?

Costumo dizer que a mulher deve começar a pensar na menopausa na adolescência. Se ela tem essa preocupação na adolescência, você vai passar pela menopausa muito bem. Se a mulher começar a pensar nos seus 50 anos, a qualidade de vida vai ser realmente pior. Então, o importante é que a mulher comece a fazer atividade física desde cedo; pegue sol com moderação para a absorção de vitamina D; cuide muito da alimentação, evitando a obesidade; não fume; não consuma bebidas alcoólicas. Tudo isso promoverá para que ela passe pelo período de climatério com muita mais saúde e disposição.

 

É verdade que determinados alimentos podem ajudar a aliviar os efeitos da menopausa? Que alimentos seriam?

Em relação aos alimentos que podem ajudar no climatério, quanto mais líquido a mulher ingerir, mais vai ajudar; alimentos ricos em cálcio também são importantes, uma vez que nesse período ocorre uma diminuição da massa óssea; a soja e amora podem diminuir o mal-estar causado pelos calores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *