Notícias

Maioria dos pacientes com fraturas não é avaliada para osteoporose, adverte especialista

Maioria dos pacientes com fraturas não é avaliada para osteoporose, adverte especialista

Maioria dos pacientes com fraturas não é avaliada para osteoporose, adverte especialista
24/10/2019 – 21:06            

A maioria dos pacientes com fraturas no Brasil não é avaliada nem tratada para osteoporose ou para a prevenção de quedas subsequentes, advertiu o vice-presidente da comissão de osteoporose da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, Ben Hur Albergaria. Ele participou de audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (24) sobre o cenário da osteoporose no País.

Para Albergaria, é preciso investir na proatividade e na identificação dos fatores de risco, principalmente entre a população acima dos 50 anos. “A partir dessa faixa etária, o paciente deve ser inquirido sobre coisas básicas, como fratura prévia; tabagismo; se consome álcool em excesso; ou seja, esses e outros fatores de risco que nos permitem indentificar, mesmo que o paciente não saiba, que ele pode estar em risco de ter osteoporose”, explicou.

O deputado Denis Bezerra (PSB-CE) lembra que em 2050, 1/4 da população brasileira será de idosos. “É uma doença silenciosa, você muitas vezes só tem o diagnóstico dela a partir da primeira fratura e as fraturas mais comuns nas pessoas idosas são fraturas que podem levar ao óbito ou à incapacidade funcional dentro de um curto período”, afirmou.

Segundo dados da Fundação Internacional de Osteoporose, a doença atinge cerca de dez milhões de brasileiros acima de 50 anos.

Reportagem – Claudio Lessa
Edição – Geórgia Moraes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *