Dr. Newton Richa

Programa Saúde do Futuro

Por Dr. Newton Richa

II Forum de Telemedicina do Conselho Federal de Medicina

II Forum de Telemedicina do Conselho Federal de Medicina
Giselle Felix
Fisioterapeuta

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, nesta quarta-feira (06/02/2019), uma nota com esclarecimentos sobre o aperfeiçoamento da Resolução CFM nº 2.227/2018, que atualiza critérios para a prática da telemedicina no Brasil. Foi acordado um prazo de 60 (sessenta) dias para que o CFM receba dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs), entidades médicas e da categoria propostas para o aperfeiçoamento da norma. Elas serão analisadas e poderão ser implementadas, após deliberação do Plenário do Conselho Federal de Medicina. Na sexta-feira (8), disponibilizou plataforma online para colher sugestões para a Resolução, que disciplina no Brasil, a telemedicina, como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias. Poderão participar todos os médicos regularmente inscritos nos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e entidades de representação da categoria, com propostas para o aperfeiçoamento da norma, através da plataforma on line:

https://sistemas.cfm.org.br/consultatelemedicina/

Já durante o II Forum de Telemedicina, no CFM em Brasilia, onde foi lançada a Nova Resolução de Telemedicina no dia 7 de fevereiro, houve uma intensa programação com o objetivo de esclarecer o significado de Telemedicina, onde cada parágrafo do documento fora esclarecido pelo Coordenador da Câmara Técnica de Informática e Saúde, Dr. Ademir Humberto Soares. Posteriormente, foi abordada a relação médico-paciente na Saúde Digital, da visão do Pestador, do Ministério da Saúde e do médico usuário de Telemedicina, com relatos de casos da aplicação, apresentação de resultados de pesquisas científicas e dados de países onde a ferramenta já é aprovada, como nos Estados Unidos e diversos países da Europa, com destaque para o Sistema Inglês NHS, que vê a aplicação da Telemedicina de forma estratégica, como chave para sustentabilidade do país.

Outro tema de importância do Forum foi apresentado durante o painel sobre Qualidade, segurança e Proteção de Dados. 87% dos médicos brasileiros que participaram da citada pesquisa, respoderam que utilizam o WhatsApp para comunicação com pacientes e com outros médicos, a respeito de questões clínicas. Foi abordada a importância da Regulamentação que prevê, em seu artigo 3º,  formas de preservar o médico no que tange a outras ferramentas de comunicação que não a de Telemedicina, que possam induzí-lo ao erro por não serem próprias para a prestação de serviço, e consequentemente, por estas ferramentas também não possuírem forma de remuneração médica, tão pouco segurança dos dados que estão sendo compartilhados.

O último painel tratou do tema Preparação Médica na Era Digital, onde foi aborada a importância da inclusão do programa de formação do médico, pela experiência do Prof. Chao Lung Wen, Médico, Professor Associado (Livre Docente) da FMUSP e Chefe da Disciplina de Telemedicina. Ele também é líder do Grupo de Pesquisa USP em Telemedicina, Tecnologias Educacionais e eHealth no CNPq/ MCTIC. Finalizou-se falando de Ferramentas Digitais, o cenário atual da Telemedicina, além do benefício da sua utilização no atendimento domiciliar, relatada através da experiência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Após o Forum, seguiu tempo para debate e esclarecimento de dúvidas.

Segue o link para  trasmissão ao vivo do Forum realizado: https://www.youtube.com/watch?v=2ReDNPbkVZQ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *