Opinião

Fiocruz abrirá centro de pesquisas no Parque Tecnológico da UFRJ, em 2018

Deu na Mídia

Veículo: O Globo

Data: 07/10/2016
Título: Fiocruz abrirá centro de pesquisas no Parque Tecnológico da UFRJ, em 2018
RIO — Um acordo assinado nesta quinta-feira entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) promete tornar o Brasil mais autônomo no combate a problemas de saúde pública, tendo em prioridade doenças como a malária, a esquistossomose e a leishmaniose, recorrentes em populações de áreas rurais e carentes. A instituição de ensino cedeu um terreno de 7.650 m², em seu Parque Tecnológico, na Ilha do Fundão, Zona Norte do Rio de Janeiro, para abrigar, em 2018, o novo Centro de Referência Nacional em Farmoquímica do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos). Leia mais!

Comentário do Dr. Márcio Meirelles

Membro do Conselho Editorial do Observatório da Saúde
No recente Fórum do Observatório da Saúde, o Dr. Joel Keravec, diretor do DNDi (iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas) mencionou os esforços da instituição para descobrir, desenvolver e disponibilizar novos medicamentos para pacientes, geralmente de áreas carentes, que sofrem de algumas das doenças negligenciadas, tais como tuberculose, malária, doença de Chagas, HIV infantil, etc. Essas doenças, embora de grande incidência e gravidade, não costumam ser noticiadas com ênfase pela grande imprensa, permanecendo “invisíveis” para setores expressivos da sociedade. Por outro lado, as medicações necessárias para tratá-las, mesmo triviais, precisam ser importadas e se tornam, por isso, excessivamente caras. A feliz parceria estabelecida entre a Fiocruz e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) pretende sanar boa parte do problema e abrir novas perspectivas para o desenvolvimento de medicamentos fabricados no Brasil para o tratamento dessas e de outras doenças.

2 comentários em "Fiocruz abrirá centro de pesquisas no Parque Tecnológico da UFRJ, em 2018"

  1. Sim Dr Marcio! Estive no fórum e também vi esta notícia como uma resposta ao que falamos durante o evento. Entretanto, no que se refere à volta da produção de insulinas no Brasil neste Centro de Referência Nacional em Farmoquímica do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), gostaria muito de saber qual tipo de insulina que vão desenvolver pois a NPH e a Regular já são oferecidas para a população pela Farmácia Popular e se for para reduzir a importação e o gasto para investir na produção de análogos de insulina ou desenvolviemnto de outros fármacos neste sentido…eu aceitaria. Ainda estou analisando se vamos comemorar ou se vai ser um recurso empregado visando tudo mesmo o interesse dos pacientes. Confira a matéria:
    http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/videos/2016/10/10/16022181-brasil-ira-voltar-a-fabricar-insulina-o-que-nao-acontecia-ha-15-anos.html

  2. marta disse:

    Ótima notícia, espero q voltem a desenvolver a insulina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *