Vídeos

Especialistas em saúde da UFRJ se reúnem para debater sobre o coronavírus

A Covid-19, mais conhecida como “o novo coronavírus”, é uma nova variação de um antigo agente causador de doenças respiratórias. As primeiras variações do coronavírus já haviam sido isoladas em humanos desde a década de 30, mas apenas em 1965 que o vírus ganhou o seu nome moderno. Título este dado em decorrência de seu perfil microscópico se assemelhar a uma coroa. Para abordar o novo coronavírus, o Núcleo de Saúde Coletiva da UFRJ realizou sua primeira reunião sobre o tema sob a direção do Dr. Roberto Medronho e com a participação especial do Dr. Edimilson Migowski.

A família de agentes ligados ao coronavírus pode ser facilmente transmitida através da tosse ou de espirros, motivo pelo qual é um assunto que tem estado em foco na mídia e preocupado a população. No entanto, o grupo de especialistas em saúde da UFRJ afirmou que o tema não está sendo tratado de maneira apropriada.

“Apesar da semelhança de alguns sintomas da Covid-19 com a gripe comum, como febre e tosse, ambos são de famílias diferentes. O coronavirus é muito menos letal do que o influenza, por exemplo (antigo H1N1). Neste caso, o desconhecimento e a propagação de falsas informações chega a ser mais letal que o vírus ”, disse o Dr. Roberto Medronho.

Durante a reunião, foram feitas proposições para que tanto o Núcleo de Saúde Coletiva da UFRJ, quanto os demais profissionais de saúde do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, venham a se tornar referência em pesquisa sobre a Covid-19. Para tal, já estão sendo preparados métodos iniciais de monitoramento, dentre eles a coleta de dados através de Big Data.

No que se refere ao atendimento à população, houve preocupação dos presentes na reunião em relação à amplitude de pacientes que possam ser atendidos. Por isso, foi ressaltado que os futuros protocolos de acolhimento e tratamento da infecção pelo Ministério da Saúde no Rio de Janeiro e no Brasil devem levar em consideração a necessidade de uma administração focada em pesquisa, prevenção simples e antecipação das ações finais de seus próprios protocolos.

Ao final da reunião, Dr. Edimilson Migowski falou para o Observatório da Saúde sobre a importância de hábitos saudáveis de higiene para prevenir doenças respiratórias, inclusive a Covid-19, mais conhecida como “o novo coronavírus”. Ele alertou para a gravidade da doença, principalmente para os idosos, mas também enfatizou que a mesma tem uma taxa de letalidade menor que a gripe, em pacientes jovens.

O especialista enfatizou ainda que, hoje, a maioria dos casos considerados como suspeita de coronavírus é, na verdade, casos do vírus influenza, mostrando que há uma confusão clínica entre Covid-19 e gripe. Por isso, a vacinação contra a gripe ajudará a diminuir essa confusão.

Assista ao vídeo do Dr. Edimilson Migowski.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *