Dr. Newton Richa

Programa Saúde do Futuro

Por Dr. Newton Richa

Educação Médica na 4ª Revolução Industrial

Giselle Felix
Fisioterapeuta

Dar vida a máquinas inteligentes, capazes de simular o pensamento humano na tomada de decisão é uma antiga fantasia da ciência. Essa aparente utopia, no entanto, está mais próxima da realidade do que se imagina. Apesar disso, não se trata de robôs humanoides, mas de sistemas integrados que analisam as variáveis presentes no processo de fabricação e identificam potenciais situações de risco, avisando seus gestores ou realizando intervenções por conta própria. Esse tipo de tecnologia permeia o conceito de indústria 4.0. em vários setores, dentre eles, o da Saúde.

Considerada a quarta revolução industrial, a indústria utiliza-se desde sensores e robôs, até softwares avançados, cujo objetivo é reunir a maior quantidade de informações possíveis para, em seguida, fundamentar a tomada de decisões. Entrar nessa quarta revolução industrial representa um grande salto produtivo para as empresas e traz inúmeros benefícios para os cidadãos com o advento da Ciência e Tecnologia.

Entretanto, as tecnologias disruptivas exigem de trabalhadores do mundo todo competências, só que no Brasil, o desafio é duplo: superar a baixa produtividade que impera entre nós e qualificar milhões de pessoas para dar o salto rumo à economia digital. A maioria dos trabalhadores no Brasil tem baixa qualificação e baixa produtividade. O resultado se reflete na grande probabilidade de trabalhadores brasileiros correrem o risco de serem sim trocados por uma máquina.

A mesma Revolução que está sendo temida pelo fantasma de trocar os trabalhadores por máquinas e processos tecnológicos, traz inúmeros benefícios proporcionados pela evolução das tecnologias, potencializando a formação e atualização de profissionais da área de saúde.

Alguns desses bem sucedidos artifícios são a realidade virtual, capaz de melhorar o treinamento de estudantes e profissionais da saúde, reduzindo custos com aulas práticas através de modelos anatômicos associados ao uso de óculos de realidade virtual, joysticks e sensores. O objetivo é facilitar alunos dos anos iniciais de medicina através de tecnologia 3D, permitindo aos alunos observarem o interior de um corpo vivo, como uma preparação às aulas práticas. Com simulações das condições de pacientes, inclusive quanto ao tamanho, peso e fisiologia, a prática se torna fidedigna com a realidade e tem total segurança, inclusive, podendo dispensar o uso de cadáveres, permitindo que nos centros de simulação realística os alunos adquiram experiência, segurança e habilidade prática para o momento de atender pacientes e realizar práticas complexas, podendo ser aplicada à educação continuada para diminuir o erro em procedimentos médicos.

Os estudantes de hoje podem até contar com uma proposta lúdica para aprendizado, através de um seriado didático, voltado para a revisão de conteúdos fundamentais para as provas de residência. Além do seriado, existem soluções de aplicativos de conteúdo médico cujo objetivo é dar apoio à tomada de decisão médica, beneficiando alunos de residência médica e até mesmo médicos com o desenvolvimento de raciocínio clínico. A consulta fica valendo como uma 2ª ou 3ª opinião, entretanto, o material que está sendo consultado são conteúdos de publicações relevantes sobre o tema que se deseja consultar.

A inserção de novas tecnologias para ensino representa acessibilidade à informação, trazendo consequências relevantes para o segmento, já que o Brasil tem centros de ensino de excelência, mas é um país gigante. A abrangência das soluções digitais torna possível levar conhecimento de ponta, em grande escala, para regiões remotas do País com o uso da telemedicina, possibilitando que mesmo nos locais mais remotos, médicos e estudantes de medicina tenham acesso aos médicos experientes, em tempo real. 

E os avanços não pararão por aí certamente, pois novas tecnologias permitem soluções inovadoras com o passar dos dias. Precisamos estar atentos, todavia abertos a uma Revolução que está apenas começando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *