Opinião

Editorial – SUS: Agora, vai!

Algo especial ocorreu esta semana. Grupos de moradores mobilizaram-se para, em frente às “suas” Clínicas da Família, defenderem-nas do fechamento anunciado. Foi uma das primeiras ações espontâneas da população em defesa do Sistema Único de Saúde. Nem partidos, nem “centrais”, nem políticos, nem organizações desta ou daquela natureza. Simplesmente o povo, na sua simplicidade eloquente, defendendo o seu direito à saúde de qualidade, universal e gratuita.

“ – A gente ficou sabendo da possibilidade de fechamento da clínica”, disse uma moradora. “Ela é a nossa única referência em saúde na região. O que será de nós se a clínica fechar? Não vamos permitir que isso aconteça.”

E um dirigente de associação de moradores: “- Isso só pode ser um boato. Ele, o prefeito, não pode fechar a clínica. Quem manda é o povo. Ele não pode dizer que vai fechar uma unidade, uma escola”.

Louvem-se os efeitos da internet, da informação instantânea, a percepção pela sociedade de que as autoridades se legitimam por comportarem-se como seus servidores, por atenderem aos seus reclamos e reivindicações. A isto se chama cidadania.

A cidadania está chegando. É ela que vai implantar o SUS.

Marcio Meirelles – Diretor executivo do Observatório da Saúde

 

 

 

Um comentário em "Editorial – SUS: Agora, vai!"

  1. Acyr Cunha disse:

    O Dr. Meirelles acentua um ponto importante. O exercício da CIDADANIA CONSCIENTE é fundamental no regime democrático. Cumprir deveres e cobrar direitos dos poderes públicos. O SUS pleno só interessa ao povo e eles agora conscientemente estão cobrando. As seguradoras e planos é que não defenderão o SUS, e o governo só dará pleno encaminhamento ao previsto na CONSTITUIÇÃO, SOBRE PRESSÃO.
    O povo esclarecido deve cobrar seus direitos e, esse movimento com efeito imediato dá um norte em defesa da SAUDE PÚBLICA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *