Notícias

Doenças ocupacionais no Brasil: causas e prevenção

shutterstock_673051360
Por Maylaine Nierg
redacaoobservatorio@gmail.com

Para inúmeras pessoas o ambiente de trabalho é onde elas passam a maior parte do seu tempo. Consequentemente, esse é um dos fatores que mais influenciam na vida da população como um todo. Por isso, é preciso ter atenção redobrada para que a ocupação profissional não desencadeie danos à saúde, o que tem sido um problema comum no Brasil e no mundo. 

Exemplo disso é o estresse ocupacional, que segundo dados de 2017 do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), está entre as principais causas de incapacitação e afastamento do trabalho no Brasil. Isso se deve ao fato de que, em muitos casos, ele evolui para quadros de depressão.

Além dos transtornos mentais, as doenças relacionadas ao trabalho também se distribuem em um grupo amplo que vão desde acidentes no ambiente profissional, passando por lesões devido a esforço repetitivo, até os problemas causados pela exposição à agentes químicos.

A valorização da saúde do trabalhador é um tema que vem sendo amplamente defendido pelo Médico do Trabalho Newton Richa, membro do Conselho do Observatório da Saúde. Para ele, é preciso haver uma mudança na cultura organizacional, a fim de que gestores entendam que valorizar a segurança e bem-estar dos profissionais melhora não só produtividade da empresa, como também a economia de modo geral.

“É fundamental que as entidades compreendam a abrangência do conceito de saúde, que envolve os âmbitos físico, mental e social. O desenvolvimento de uma Cultura de Segurança forte e sustentável depende de uma ampla e permanente sinergia entre os compromissos da organização, através de políticas de segurança, recursos e comunicação e também o compromisso dos trabalhadores, e em terem atitudes questionadoras, atuação prudente e comunicação”, explica o médico.

Richa também cita como exemplo um estudo da Agência Europeia para Segurança e Saúde no Trabalho (EU OSHA), – publicação Facts 76 National Economics and Occupational Safety and Health (Economia Nacional e Segurança e Saúde no Trabalho) – que aponta uma ligação entre Competitividade Nacional e Segurança do Trabalho.

“O estudo mostra que o elevado desempenho em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) pode contribuir para o aumento da produtividade por meio de resultados como: a redução do número de pessoas que se aposentam e se incapacitam precocemente, em virtude de acidentes ou doenças; a redução dos custos de assistência médica e social relacionados aos acidentes e às doenças; e o aumento da capacidade das pessoas para o trabalho, proporcionado por melhorias na sua saúde e na utilização de métodos e tecnologias de produção mais efetivos”, ressalta. 

Conheça algumas das doenças ocupacionais mais comuns e suas causas

LER – Lesão por Esforço Repetitivo

Causada por esforço repetitivo por tempo prolongado. Pode atingir pessoas das mais variadas ocupações. Ela engloba sintomas como dificuldade de movimentação e dor nos membros superiores e inferiores, fadiga muscular e redução do movimento. 

Asma Ocupacional

Geralmente, ocorre devido a inalação de partículas alergênicas ou irritantes, que causam obstrução das vias respiratórias. É mais comum em trabalhadores que têm contato com linho, couro, algodão, madeira e borracha. 

Dermatose ocupacional

Sua maior incidência é em trabalhadores que utilizam óleo mecânico e graxa, e é caracterizada pele alterações na pele e mucosas. os agentes causadores podem ser de natureza química, física ou biológica. Existem tipos variados de dermatose ocupacional. São eles: dermatites de contato, cânceres de pele, infecções e ulcerações (feridas na pele). 

Surdez temporária ou definitiva 

Quem trabalha com exposição contínua e intensa à ruídos tem risco de desenvolver esse problema. mais comum em atividades como mineração, construção civil, operação de máquinas e trabalhos em aeroportos. 

Antracose Pulmonar

Adquirida pela inalação de partículas de poeira, a doença consiste na formação de lesão nos pulmões. Frequente em trabalhadores que lidam com carvoarias, mas pode atingir qualquer pessoa que reside e trabalha em grandes centros urbanos. 

DORT – Distúrbios Osteomusculares relacionados ao Trabalho

Nesse grupo estão doenças como mialgias, tendinites, bursite, dedo de gatilho e dores crônicas.  Ocorrem principalmente por questões como má postura, sobrecarga de esforço físico e movimentos repetitivos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *