Notícias

Dia mundial da luta contra AIDS: saiba como se prevenir e realizar o diagnóstico precoce

Aids
Por: Equipe da redação

Há 30 anos, no dia 27 de outubro de 1988, a Assembleia Geral da ONU e a Organização Mundial de Saúde instituíram o dia 1º de dezembro como o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Cinco anos após a descoberta do vírus causador da aids, o HIV, 65,7 mil pessoas já tinham sido diagnosticadas com o vírus, e 38 mil já tinham falecido.

A AIDS é uma doença crônica que pode ser potencialmente fatal. Ela acontece quando a pessoa infectada pelo HIV vai tendo o seu sistema imunológico danificado pelo vírus, interferindo na habilidade do organismo de lutar contra invasores que causam a doença, além de deixar a pessoa suscetível a infecções oportunistas, como pneumonia, tuberculose e toxoplasmose.

O Ministério da Saúde estima que 866 mil pessoas viviam com HIV em 2017. Desse total, 84% (731 mil) estavam diagnosticadas, e 75% (548 mil) estavam em tratamento antirretroviral. Segundo a pasta, no ano passado, 92% (503 mil) dos infectados em tratamento já tinham carga viral indetectável. Até setembro deste ano, havia 585 mil pessoas em tratamento para HIV/Aids. A meta do Ministério da Saúde é garantir que, até 2020, todas as pessoas vivendo com HIV no pais sejam diagnosticadas; que 90% das pessoas diagnosticadas estejam em tratamento; e que 90% das pessoas em tratamento alcancem carga viral indetectável.

.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Infectologia, atualmente cerca 670 mil pacientes estão em tratamento contra o vírus HIV no país. A principal forma de contrair o vírus do HIV é pela relação sexual. A contaminação por transfusão de sangue passou a ser rara pela atual eficiência dos testes sanguíneos nos bancos de coleta. Já a contaminação vertical, quando passada de mãe para filho durante a gestação, foi reduzida por conta do diagnóstico precoce da doença, conseguindo assim tratar a mãe e evitando a contaminação do bebê.

Alguns dos sintomas que a doença pode apresentar são emagrecimento não intencional, fadiga, sudorese noturna e calafrios. O diagnóstico pode ser realizado de forma rápida através dos postos de saúde, com tiragem de sangue ou com a saliva do paciente. A médica infectologista e membro consultora do Comitê de HIV/Aids da Sociedade Brasileira de Infectologia, Melissa Medeiros, diz que o Brasil é um dos países que oferece a Terapia Antirretroviral gratuita no mundo, trazendo benefício ao paciente e controle da doença. “Quando tratamos o paciente, controlamos a quantidade de vírus em seu sangue, fazendo com que ele não transmita o HIV nas formas normais, principalmente por relação sexual”, afirma a médica.

O Dia Mundial de Luta Contra a Aids passou a ser celebrado todo dia primeiro de dezembro. Uma das ideias que a data busca promover é o sentimento de solidariedade entre os infectados pelo vírus, além do combate ao preconceito. Daí a importância de se compartilhar informações corretas, que busquem derrubar mitos sobre a doença.

 A médica Melissa Medeiros reforça a importância da campanha de acrescenta que são necessárias campanhas educativas para conscientizar as pessoas e alerta à população de como se prevenir através do diagnóstico precoce da doença. “Você só pensa em controlar alguma coisa quando você tem certeza que ela realmente existe”. Atualmente com o avanço da medicina, se houver o tratamento eficaz é possível viver bem mesmo contaminado pelo vírus HIV.

Prevenção

O grande desafio proposto pelo Dia Nacional de Combate à Aids é a luta contra a transmissão que atinge um número considerado de pessoas em todo o mundo. A única forma de prevenção, no ato sexual, é o sexo seguro.  No Brasil, a camisinha masculina é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde SUS), e para adquiri-la basta ir a um posto de saúde próximo de sua casa.

Faça sexo com camisinha. Prevenir é o melhor remédio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *