Notícias

Dia Internacional de Atenção à pessoa com Lúpus: Informação é importante aliada para diagnóstico e tratamento

depositphotos_152695410-stock-photo-world-lupus-day-background
Por: Equipe da Redação
redacaoobservatorio@gmail.com

Assim como outras doenças autoimunes, o lúpus é considerado uma patologia grave, que faz com que o sistema imunológico do paciente ataque seu próprio organismo, causando inúmeras complicações à saúde. Estima-se que a doença atinja cerca de 200 mil brasileiros. No mundo todo, são em média 40 casos para cada 100.000 habitantes. Para esclarecer dúvidas sobre o tema e estimular o cuidado com pacientes que sofrem com o problema, no dia 10 de maio comemora-se mundialmente o Dia Internacional de Atenção à Pessoa com Lúpus.

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), é a forma mais séria da doença e também a mais comum afetando aproximadamente 70% dos pacientes. De acordo com especialistas, a doença está relacionada à predisposição genética e pode ser desencadeada por fatores hormonais e ambientais, tais como: luz solar, infecções e alguns medicamentos.

De acordo com o médico reumatologista Frederico Marcondes, existem inúmeros outros “gatilhos” que podem estimular o aparecimento da doença. “Entre as causas que podem favorecer a manifestação do lúpus estão: fatores ambientais, questões emocionais, doenças provenientes de vírus, entre outros”.

Marcondes explica também que a doença é mais comum entre o público feminino. A cada dez casos, nove são mulheres. Ele conta que essa maior prevalência está ligada a questões hormonais, mas que ainda estão sendo desenvolvidos estudos mais precisos para entender esse fenômeno.

Sintomas e diagnóstico

Por se tratar de uma doença multisistêmica, ou seja, que pode atingir diversos órgãos, os sintomas do lúpus podem variar de acordo com cada paciente. Por isso, o diagnóstico envolve complexidade e muita atenção.

“O diagnóstico é principalmente clínico, e demanda uma série de critérios. O médico precisa conversar com o paciente e avaliar minuciosamente os sinais da doença. Para uma avaliação mais completa, também são feitos exames laboratoriais”, explica Marcondes.

Ainda de acordo com o especialista, alguns dos principais sintomas são: dores nas articulações, queda de cabelo, fadiga persistente e lesões cutâneas (manchas e férias na pele). Uma lesão de pele muito característica do lúpus é a mancha no formato de um asa de borboleta. O médico explica que, por isso, a borboleta é o símbolo da doença.

Saúde emocional

Bem como outras doenças graves, o lúpus pode fazer com que o paciente se exponha a uma intensa sobrecarga emocional. Segundo Marcondes, há ainda transtornos que podem se manifestar como consequência psiconeurológica da doença.

“Em alguns casos os pacientes apresentam quadros depressivos, desânimo, podendo chegar até a quadros de psicose, em situações mais raras. Essas questões precisam ser observadas com atenção por médicos e familiares, a fim de incluir no tratamento o suporte psicológico”, conclui o especialista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *