Notícias

Dezembro Vermelho alerta sobre aumento dos casos de HIV no Brasil

9c9fe922-283b-4300-a860-24072e7eab87

Por: Equipe da Redação
redacaoobservatorio@gmail.com

A campanha dezembro vermelho marca o mês da luta contra o HIV, e é uma extensão do Dia Mundial da Luta Contra a Aids (1° de dezembro). A iniciativa surgiu para despertar a população quanto aos riscos da doença e estimular a prevenção. Apesar de todos os avanços no combate ao HIV, estima-se que no mundo inteiro ainda haja cerca de 36 milhões de pessoas infectadas pelo vírus. No Brasil, os casos continuam aumentando, e ocasionam cerca de 10 mil mortes anuais.

Para debater o assunto, o Museu do Amanhã, em parceria com a Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) promoveu na sexta-feira (01) o talk-show “As novas faces do HIV”, onde foram discutidos assuntos como os avanços no tratamento, a rejeição por conta da doença e os métodos de prevenção.

Entre os debatedores estiveram o professor de Imunologia Clínica da Faculdade de Medicina da USP, Esper Georges Kallas e o pesquisador da Fiocruz, Dumith Bou-Habib. O debate foi mediado pela professora adjunta do Departamento de Microbiologia, Imunologia e parasitologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Daniela Santoro.

Para Esper Gaspar, um dos principais desafios com relação a Aids ainda é a conscientização. Especialmente, entre o público jovem. Ele lembra que no atual cenário, a educação continua sendo a base fundamental para estimular a prevenção. “As pessoas que em sua juventude presenciaram os efeitos danosos provocados pela Aids, que ocasionou muitas mortes, desenvolveram uma maior consciência sobre os riscos da doença. Pesquisas mostram que, atualmente, o número de casos entre jovens de 15 a 18 anos tem crescido de forma espantosa, justamente porque esse público subestima as consequências da doença e a possibilidade de infecção”.

O professor Dumith Bou-Habib explicou detalhadamente a ação do HIV no organismo e a evolução do tratamento ao longo dos anos. Ele conta que esse tratamento é feito através dos antirretrovirais, remédios que têm a função de impedir a multiplicação do vírus no organismo. No Brasil, o paciente soropositivo tem acesso a esses medicamentos de forma gratuita, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

A importância do teste do HIV

Os especialistas explicaram também que é importante não apenas estimular a prevenção, mas também orientar para que todas as pessoas que tenham sido expostas a uma situação de risco – como o sexo sem preservativo, por exemplo – façam o teste do HIV. O exame pode ser feito sob prescrição médica em uma unidade de saúde ou em casa através do auto-teste que é vendido na farmácia.

Prevenção

A prevenção ao vírus do HIV envolve cuidados como uso de preservativos durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis, uso de luvas para manipular ferimentos, além de testar previamente o sangue e hemoderivados para transfusão.

Mães infectadas pelo vírus devem usar antirretrovirais durante a gestação, para prevenir a transmissão vertical, e evitar a amamentação aos bebês.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *