Sociedades de Especialidades Médicas

Conheça a Associação de Cirurgia Pediátrica do Estado do Rio de Janeiro

Por: Equipe da Redação
redacaoobservatorio@gmail.com

Ao contrário do que muitos imaginam, a cirurgia pediátrica possui inúmeras especificidades, que a tornam diferente de uma intervenção cirúrgica comum. Por isso, é importante que se tenha um profissional especializado no procedimento cirúrgico infantil, para garantia de sucesso nesse tipo de procedimento. Esse é um dos temas defendidos pela Associação de Cirurgia Pediátrica do Estado do Rio de Janeiro (CIPERJ).

Criada em janeiro de 1964, a CIPERJ tem como principal objetivo, promover a integração entre todos os médicos dessa especialidade, a fim de fortalecer as questões inerentes área. A entidade realiza reuniões científicas e divulga cursos e eventos importantes para o desenvolvimento do profissional.

Em entrevista ao Observatório da Saúde, o médico Kleber Anderson, presidente da associação, contou que no âmbito da saúde pública, pacientes e cirurgiões pediátricos ainda precisam encarar muitas dificuldades.

“Está faltando um melhor entendimento entre a administração do SISREG – sistema que regula os procedimentos cirúrgicos – e a cirurgia pediátrica nos hospitais públicos do Rio de Janeiro. Outro problema que a CIPERJ considera importante de se discutir é o fato que nenhuma UTI neonatal dos hospitais públicos, possuem um cirurgião pediátrico de plantão. Para nós da CIPERJ esse problema cria gastos maiores para o Governo e coloca em risco a saúde dos bebês”.

O médico explica que, embora seja uma associação relativamente pequena, a CIPERJ está sempre atuante e empenhada para que pacientes e cirurgiões da área se sintam representados.

A cirurgia pediátrica

A cirurgia pediátrica está dividida em diferentes especialidades. Dentre as quais, as mais comuns são: pré-natal, período que engloba a gravidez; neonatal, fase de acompanhamento do recém-nascido; urologia pediátrica, envolve malformações e doenças nos órgãos genitais e sistema urinário; traumas em geral, como quedas e outros acidentes; oncologia pediátrica, investiga e trata tumores benignos ou malignos; entre outras.

De acordo com a CIPERJ as intervenções cirúrgicas infantis mais comuns, e que podem ser prevenidas, são os traumas. Kleber Anderson alerta que, nesse sentido, é fundamental que os responsáveis tenham máxima atenção e procurem averiguar itens que em casa ou na escola possam colocar a vida das crianças em risco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *