Notícias

Como se proteger do novo vírus da gripe, que já causou mortes no Brasil

vacina
(foto: Jair Amaral/EM/DA Press – 18/04/2017)

O vírus influenza H3N2 infectou 47 mil norte-americanos e começa a chegar ao Brasil. Saiba quais são as medidas de prevenção além da vacina

Por: João Henrique do Vale/Estado de Minas
Correio Braziliense – 24/03/2018

Um vírus que provocou o pior surto de gripe nos Estados Unidos da última década começa a chegar ao Brasil e deixa as autoridades de saúde em alerta. Alguns estados já registraram os primeiros casos de infecção pelo H3N2, um tipo do vírus influenza que, só no país norte-americano, infectou mais de 47 mil pessoas e provocou diversas mortes, principalmente de crianças e idosos. 

Com a chegada do outono, é esperado que a nova cepa da gripe, que já matou duas pessoas em Taubaté (SP) esta semana, comece a circular com mais intensidade no Brasil. “A gente está acompanhando muito o que ocorreu nos Estados Unidos no ano passado. Teve uma circulação muito intensa do H3N2 e lá houve um aumento muito grande de internações, principalmente de idosos e crianças. Então, estamos acompanhamos a variação do H3N2. É uma doença grave como qualquer influenza”, diz Janaína Fonseca Almeida, diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Minas Gerais.

Como se proteger

O Ministério da Saúde marcou para 16 de abril o início da campanha nacional de vacinação. Idosos acima de 60 anos, crianças com mais de 6 meses e menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas e professores da rede pública e particular serão convocados para a imunização, que deve ocorrer até 15 de maio. 

Os grupos alvo da campanha são os mais vulneráveis. Nos EUA, quase todas as vítimas eram idosos ou crianças pequenas. Outras pessoas podem se vacinar em clínicas particulares, que devem começar a receber as doses ainda este mês. 

Além disso, especialistas dizem que a população pode tomar outras medidas de prevenção:

  • Ao tossir e espirrar, use a parte interna dos braços para tampar o rosto
  • Utilizar lenços descartáveis
  • Busque evitar locais com aglomeração
  • Deixe o ar circular, mesmo no inverno e em dias frios
  • Não se automedique 
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, copos e pratos
  • Procure um médico ou posto de saúde diante de qualquer sintoma

Primeiras vítimas

O H3N2 já fez vítimas no Brasil este ano. Na última quinta-feira (22/3), autoridades de saúde de Taubaté confirmaram a morte de duas pessoas — uma menina de apenas 3 meses e uma idosa de 70 anos. 

Já em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou na sexta-feira (23/3) um balanço que aponta oito infectados no estado, sem registro de mortes. Não há casos confirmados no Distrito Federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *