Dr. Newton Richa

Programa Saúde do Futuro

Por Dr. Newton Richa

Como fica a A Relação Médico-Paciente na 4ª Revolução Industrial?

Giselle Felix
Fisioterapeuta

Estamos vivenciando um período onde tanto a produção industrial quanto os serviços estão sendo completamente transformados pela Quarta Revolução Industrial – um período caracterizado por uma fusão de tecnologias que está transcendendo as as esferas física, digital e biológica, onde as próteses se comunicam diretamente com os médicos. Neste período de revolução tecnológica, as Leis tentam acompanhar as mudanças para garantir que os benefícios continuem superando quaisquer consequências não intencionais.

É importante observar como isso afeta o emprego, como isso afeta a disparidade entre os ricos, a classe média e as partes econômicas mais baixas da sociedade. Toda vez que temos um uso intencional de uma tecnologia, há conseqüências não intencionais. Momentos de incertezas entre as profissões, e dúvidas como “Se confiarmos exclusivamente em robôs e inteligência artificial, existe a possibilidade de cedermos o controle às máquinas?” A grande questão é saber se seremos capazes de reagir e corrigir de maneira oportuna quaisquer consequências não intencionais para que estas não superem os benefícios pretendidos.

Temos observado que tecnologias emergentes levarão a muito mais a uma espécie de medicina personalizada, baseada na individualidade bilógica, benefício conquistado após a era da “Medicina Baseada em Dados” . A questão atual é: como será utilizada essa informação? Conseguiremos resolver problemas em tempo real? Isso tornará o serviço mais barato, ou será mais caro, porque há tanto esforço de P & D envolvido? Será perdido de vez o vínculo médico-paciente, ou esse já se perdeu há muito, quando o que os une passou a ser a doença e não a saúde? A consulta médica perderá de vez seu valor por causa da inserção de tecnologias, ou a necessidade econômica por quantidade de atendimentos, imposta pelo repasse das operadoras, já qualificou há muito tempo a rotina dos consultórios? 

Estamos passando por momentos de debates e discussões a respeito da Saúde do Futuro, pois aqueles que se manifestam participando ativamente, entenderam que são protagonistas dessa história. Com a velocidade da Transformação Digital, ninguém é capaz de prever um desfecho único para as conversas, são infinitas possibilidades, muitos fatores que se considerar. O mais importante deles será manter o paciente no centro do serviço, por isso é importante estar atento aos novos padrões sistêmicos do comportamento humano, que se reflete no paciente e na forma que será atendido, seja daqui a  alguns minutos, ou nas próximas gerações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *