Notícias

Como a temperatura de suas mãos pode indicar se você sofre de artrite reumatoide

Não existe uma causa específica para a artrite reumatoide, nem um sinal claro de que a doença se aproxima.

_109912791_gettyimages-1026273002
BBC News Brasil
8 dezembro 2019

Pela similaridade de seus sintomas com os de outras enfermidades, é difícil diagnosticá-la em estágios iniciais.

Isso faz com que, quando as dores nas articulações, o inchaço e a vermelhidão aparecem – sinais mais claros da doença -, fique mais complicado controlá-la, e os tratamentos necessários precisam ser mais invasivos.

Um exame de sangue que detecte uma velocidade elevada da chamada proteína C reativa pode servir de indício de um processo inflamatório no corpo. Entretanto, o teste não possui um marcador específico para a artrite reumatoide.

Mas um método relativamente novo pode melhorar o diagnóstico do problema.

É isso que afirmam os pesquisadores da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, em um estudo publicado na revista Nature. Eles afirmam que encontraram uma ligação entre a temperatura da palma das mãos de pacientes com artrite reumatoide.

Termografia

“A termografia é uma técnica emergente com o potencial de ser uma importante ferramenta clínica em vários campos da medicina, já que as doenças variam em magnitude e em padrão de emissão de calor das pessoas afetadas”, diz a pesquisa.

A termografia infravermelha é um procedimento que obtém imagens e “produz um termograma da pele do paciente”, segundo o Instituto de Termografia Médica Aplicada na Espanha.

O relatório da Universidade Cornell explica que o procedimento é usado para detectar enfermidades como a diabetes e o câncer de mama, mas destaca que faltam pesquisas voltadas à análise de inflamações nas articulações, em função da artrite reumatoide.

A investigação foi realizada com 82 pacientes, entre os quais 51 não apresentavam nenhum sintoma e 31 tinham artrite reumatoide.

A partir daí, o estudo excluiu os pacientes com outras condições, como diabetes, doenças arteriais periféricas e neuropatias, pela probabilidade de que emitissem uma temperatura que alterasse o experimento.

“O objetivo do estudo era determinar se os pacientes enfermos, mas sem sintomas de inflamação ou dor, teriam padrões termográficos diferentes em comparação aos que estavam saudáveis”, diz o artigo.

Resultados

Os autores afirmam que essa é a primeira pesquisa a realizar tal comparação e que os resultados mostraram claramente que, neste caso, as mãos de pacientes com sintomas tinham temperaturas superiores às de indivíduos saudáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *