Notícias

As verdades sobre as práticas populares no cuidado com a saúde

Como as práticas e aprendizados transmitidos ao longo de gerações podem fazer efeitos verdadeiros na saúde física e mental através da utilização de plantas medicinais.

shutterstock_249194122-2-810×540

O que é amplamente conhecido sobre o método científico de “cuidar da saúde” são seus precedentes intelectuais de autoridade, e seus métodos factuais. Estes, nem sempre reconhecidos pela população no geral, devido a disparidade nos entendimentos de “cura”, revelam também o motivo deste desconhecimento. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 60% da população brasileira não possui acesso a medicamentos comuns devido aos seus altos custos, e por isso frequentemente substituem práticas científicas por práticas culturais e espirituais.

A união de ambos os conceitos é possível. Na área de enfermagem, caso estes conceitos culturais não interfiram no processo de cura da doença, eles podem ser considerados como “curas complementares”.

Umas destas práticas de curas complementares, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é o uso de plantas medicinais. Este é um trabalho que mesmo nas populações menos abastadas ainda é amplamente conhecido, e difundido através do conhecimento empírico, adquirido através dos séculos. Tal conhecimento, muitas vezes atribuído aos mais velhos, se tornou tradição a partir da prova cultural de sua eficácia.

Em um estudo da revista de enfermagem da UERJ, foram realizadas entrevistas sobre o uso de plantas medicinais para o tratamento de feridas com a população de uma destas comunidades.

“As cascas [de romã] eu coloco no sol, …Quando eu preciso, eu a pego, ela está sequinha. Porque eu tomava o que o médico passava, cataflan, e não adiantava e foi com a romã que veio sarar.”, disse um dos moradores, na pesquisa.

Para mais informações sobre o estudo acessar o documento em: http://www.facenf.uerj.br/v22n3/v22n3a16.pdf

O governo abraça essa ideia, e, desde 2009, até criou um manual para o programa nacional de plantas medicinais e fitoterápicos. Este manual tem o objetivo de garantir à população acesso amplo e seguro ao uso racional de plantas medicinais e fitoterápicas. Este documento pretende instituir diferenças entre o uso racional e irracional destas plantas, em diferentes aspectos.

Para mais informações sobre o manual acessar em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/programa_nacional_plantas_medicinais_fitoterapicos.pdf

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *