Giselle Felix

Programa Saúde do Futuro

Por Giselle Felix

Acrescentando Vida aos Anos

Giselle Felix
Fisioterapeuta

Para muitos de nós, há muito o que desfrutar com o avançar dos anos. Segundo o Relatório “The State of Ageing in 2019: Adding life to our years” – O estado do envelhecimento em 2019: acrescentando vida aos nossos anos –  as pessoas entre os 60 e os 70 anos estão mais satisfeitas com a vida do que qualquer outra faixa etária, onde muitas pessoas na vida adulta relatam sentir-se conectadas às suas comunidades, famílias e amigos.

Mas existem enormes desigualdades. À medida que envelhecemos, o acúmulo de uma vida inteira de benefícios ou malefícios vividos, juntamente com diferenças como a nossa etnia, onde moramos e nossa renda, resulta em níveis muito desiguais de saúde, riqueza, felicidade e segurança na vida adulta . E há tendências preocupantes para o futuro. Por exemplo, o progresso anterior na redução da pobreza dos aposentados está começando a reverter.

Enquanto os avanços do século XX em saúde pública, nutrição e ciências médicas nos deram o dom da longevidade, até agora, neste século, não conseguimos responder com ações suficientemente radicais para garantir que todos desfrutem desses anos extras. Nossos anos extras de vida são um presente que todos devemos poder desfrutar e, no entanto, um número cada vez maior de pessoas corre o risco de perder.

O envelhecimento é inevitável, mas a forma como envelhecemos não é. Nossas taxas atuais de doenças crônicas, condições de saúde mental, incapacidade e fragilidade poderiam ser bastante reduzidas se abordássemos os fatores estruturais, econômicos e sociais da saúde precocemente.

Nossos anos extras de vida são um presente que todos devemos poder desfrutar e, no entanto, como mostra o relatório na íntegra, um número cada vez maior de pessoas corre o risco de perder uma boa oportunidade mais tarde na vida.

Devemos agir agora para que mais pessoas que se aproximam da vida adulta, particularmente aquelas com baixa renda, com problemas de saúde e moradia inadequada, e as gerações que as seguem, possam desfrutar de uma vida longa e feliz.

Estamos vivendo por mais tempo, mas mais pessoas estão gerenciando várias condições de saúde e problemas de mobilidade surgindo a partir da meia-idade, onde pessoas de origens mais pobres apresentam maior risco. Um número crescente de nós está gerenciando várias condições de ausência de saúde. Embora seja verdade que a maioria das pessoas não tenha expectativas de uma saúde perfeita mais tarde, muitas pessoas esperam que sua saúde e condição física sejam ‘boas o suficiente’ para fazer as coisas que são importantes para eles; sair e socializar, trabalhar pelo tempo que desejarem e serem capazes de cuidar de si mesmos, incluindo lavar e se vestir sem ajuda.

O que precisa mudar?

Saúde é mais do que apenas a ausência de doença. É a nossa capacidade de fazer as coisas que queremos. Devemos combater as causas de problemas de saúde evitáveis ​​e incapacidades, como tabagismo, má alimentação, falta de exercício e consumo excessivo de álcool. Ao fazer isso, é vital que o governo implemente políticas econômicas, estruturais, sociais e de saúde que as evidências mostrem que funcionam para permitir que mais pessoas tenham uma vida saudável e ativa. Um foco nas desigualdades na saúde é fundamental. Políticas e intervenções focadas na prevenção e no envelhecimento saudável precisam ter como alvo aqueles cuja saúde está em maior risco.

O relatório na íntegra: ‘O estado do envelhecimento em 2019’, usa dados publicamente disponíveis para fornecer uma visão geral de como é a vida de pessoas com 65 anos ou mais hoje, sob o panorama mundial. Ele também investiga as perspectivas para as pessoas que possuem, atualmente, entre 50 e 60 anos, analisando quatro áreas cruciais: trabalho e finanças, moradia, saúde e comunidades.

REFERÊNCIAS:
CENTRE FOR AGEING BETTER – The State of Ageing in 2019: Adding life to our years: https://www.ageing-better.org.uk/publications/state-of-ageing-2019

Um comentário em "Acrescentando Vida aos Anos"

  1. Marcio Meirelles disse:

    Se pretendemos desfrutar de um envelhecimento saudável, é importante reconhecer que muitos dos nossos hábitos – como o tabagismo, o sedentarismo e a alimentação inadequada – são “causadores de doenças”. Só recentemente a nossa sociedade se deu conta de que uma velhice saudável depende de uma saúde bem cuidada desde cedo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *