Notícias

A importância do uso de máscaras

shutterstock_1624707529
Por Juliana Temporal

 

Recentemente, a Associação Americana de Faculdades de Medicina (na sigla em inglês, AAMC) divulgou o documento The Way Forward on COVID-19: a Road Map to Reset the Nation’s Approach to the Pandemic (O Caminho a Seguir em Covid-19: um Roteiro para Redefinir a Abordagem da Nação para a Pandemia), que inclui 11 ações baseadas em evidências – tanto imediatas quanto de longo prazo – estabelecidas como um plano abrangente e elaboradas com base no entendimento dos especialistas da AAMC sobre a pandemia como médicos, cientistas e educadores médicos. Entre essas ações, está uma declaração de consenso para fornecer orientação ao público sobre o uso de máscaras para diminuir a disseminação de Covid-19.

No documento, a AAMC ressalta que, apesar da força-tarefa do sistema de saúde americano ter tido uma participação fundamental desde que a Covid-19 infectou o primeiro paciente nos Estados Unidos, médicos e cientistas sozinhos não podem salvar as vidas americanas dessa doença. Usar máscaras é uma medida que todos podem tomar para se protegerem, e protegerem suas famílias e pessoas próximas. Uma máscara nem sempre é confortável e não tem sido parte do dia a dia nos Estados Unidos, mas, em um futuro próximo, os benefícios serão maiores que os desconfortos.

De acordo com a AAMC, cobrir o rosto é muito importante para desacelerar o contágio do coronavírus. Para a comunidade médica, esse vírus tem crescido e evoluído desde março, quando os esforços para diminuir o contágio foram iniciados. Ainda há muito a aprender, mas médicos estão aprendendo cada vez mais sobre práticas de prevenção. Um estudo na Health Affairs examinou os níveis de contágio em estados com uso obrigatório de máscaras. Segundo o estudo, até final de maio, entre 230.000 e 450.000 casos potenciais de Covid-19 foram evitados devido ao uso obrigatório de máscaras.

O documento enfatizou ainda que reforçar a importância de medidas preventivas, além do monitoramento de sintomas, o que inclui o uso de máscaras de proteção, é essencial. Evidências mostram que pessoas espalham o vírus de forma inconsciente, pois estão assintomáticas ou têm sintomas leves. Um estudo feito pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) mostrou que de 1.000 membros infectados no navio U.S.S. Theodore Roosevelt, um em cada cinco não tinham sintomas ou apresentavam apenas sintomas leves.

Para a AAMC, apesar de não haver estudos sobre a real eficiência das máscaras no combate à transmissão da Covid-19, orientações locais e nacionais quanto ao uso de máscaras são úteis. Governos locais e federal devem considerar o nível do contágio da doença em seus estados ao considerar implementar essa orientação. Indicações quanto ao uso de máscaras onde o contágio está em crescimento, devem ser obrigatórias. As seguintes orientações devem ser recomendadas:

  • Máscaras justas com espaços mínimos entre o nariz e queixo são recomendadas. Máscaras folgadas ou bandanas amarradas são melhores que ficar sem proteção, porém, ainda permitem que partículas respiratórias mínimas sejam dispersas;
  • Use máscaras com pelo menos duas camadas (até três, se possível). Estudos mostram que tecidos duplos reduzem mais a transmissão por gotículas causadas por tosse ou espirro, comparado a máscaras de tecido único;
  • O CDC recomenda que todos a partir dos 2 anos de idade usem máscaras de pano quando em público e perto de pessoas que não morem na mesma casa, especialmente quando o distanciamento social for difícil de manter;
  • O uso de máscaras é especialmente importante em locais fechados. Eventos de supercontágio, onde uma infecção individual causa várias infecções subsequentes, ocorrem mais comumente em locais fechados;
  • Todos os comércios abertos ao público, mesmo limitados, devem insistir que seus clientes usem máscaras quando dentro do recinto;
  • Use máscaras em locais fechados, mesmo quando a um metro e oitenta de distância uns dos outros, quando não forem moradores da mesma casa;
  • Alguns estudos sugerem que gotículas menores, conhecidas como aerossóis, podem permanecer no ar por mais tempo, mas esse tempo é desconhecido;
  • O recomendado é usar máscara mesmo que por breves momentos de exposição, como ao passar por alguém na calçada;
  • Máscaras são desnecessárias em áreas externas se a pessoa não estiver a menos de um metro e oitenta das outras;
  • Governos locais devem distribuir máscaras para pessoas em condição de rua, prisioneiros e outras populações vulneráveis.

 

O documento da AAMC também destacou que o uso de máscaras não previne completamente a transmissão da infecção. Como resultado, o uso de máscaras não diminui a importância de lavar as mãos frequentemente ou substitui o isolamento social. Atividades não essenciais, que necessitem que pessoas estejam no mesmo local por mais do que alguns minutos, com respiração mais forte, como na prática de esportes ou canto, devem continuar a ser evitadas com ou sem o uso de máscaras. Se todos trabalharem juntos, é possível proteger comunidades e reabrir escolas e a economia. Somente se o uso de máscaras se tornar o “novo normal”, será viável superar a Covid-19 mais rapidamente.

 

Leia a íntegra do documento da AAM

 

Fonte: https://www.aamc.org/covidroadmap/masks

Um comentário em "A importância do uso de máscaras"

  1. Camila maia disse:

    Olá, me chamo Camila tive duas gravides utópica, não tenho mais as trompas agora só consigo engravidar com inseminação tenho 39 anos,nenhum filho pois perdi as duas trompas,gostaria de saber um hospital no Rio de Janeiro faça pelo sus,meu sonho é de ser mãe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *