Notícias

A importância da prevenção no combate ao câncer de mama

shutterstock_130569779

A mamografia é a radiografia das mamas, um exame que utiliza radiação para revelar possíveis alterações no órgão e que exige a compressão suportável das mamas para uma melhor detecção de nódulos e possíveis tumores. Esse é o exame mais indicado para conseguir um diagnóstico preciso do câncer de mama e faz parte de um conjunto de ações que auxiliam a detectar precocemente o câncer de mama, tipo que mais mata as mulheres.

 

De acordo com a Federação Brasileira das Instituições Filantrópicas e Apoio à Saúde da Mama (Femama), se o câncer de mama for descoberto logo no início, a chance de cura sobe para até 95%. Mônica Assis, sanitarista da Divisão de Detecção Precoce e apoio a Organização de Rede do INCA, diz que o câncer de mama pode ser percebido pela própria mulher por meio do auto-exame, mas não se deve descartar a mamografia. A Femama orienta que o exame seja realizado anualmente em mulheres com idade a partir de 40 anos.

Antes dessa idade, as mulheres devem solicitar ao médico a realização do exame clínico. “Pode sair algum líquido que não está relacionado à amamentação. Pode ser um nódulo, como é, na maioria das vezes, e uma alteração no formato da mama. Outro sintoma clássico é a própria pele. Ela fica mais espessa e comprometida, como se fosse uma casca de laranja, ou também a alteração de mamilo. Um sintoma comum é a dor na mama. Entretanto, muitas vivenciam esse problema no período menstrual. É interessante que se perceba se é uma dor diferente e se a dor persiste”, explica.

 

No SUS a mamografia é considerada o método mais importante para registrar o índice da doença, mas é preciso melhorar o nível do diagnóstico no Brasil, onde algumas regiões e cidades são mais privilegiadas que outras. O Observatório da Saúde lembra que entre a suspeita e a confirmação não se pode gastar tempo. Por isso é preciso encurtar a trajetória entre a  confirmação do diagnóstico e o inicio do tratamento.

 

Dados do Ministério da Saúde  e do INCA mostram que  no país, as  mamografias cresceram cerca de  37%, no comparativo entre os primeiros semestres de 2010 e 2016, passando de 1,6 milhão para 2,2 milhões. Na faixa etária de 50 a 69 anos, o aumento no período foi de 64%. O SUS garante a oferta de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias, desde que tenha recomendação médica. A equipe do Observatório da Saúde lembra que para realizar a marcação do exame de mamografia é preciso procurar a Secretaria de Saúde da sua cidade, com pedido médico solicitado por uma unidade de saúde pública e documento de identidade. No município do Rio de Janeiro, as moradoras devem procurar uma clínica da família próximo a sua residência.

 

A Secretaria Municipal de Saúde ficará responsável pelo encaminhamento do paciente ao local do exame, buscando as unidades com vagas.

Informações importantes:

– No Rio Imagem existem 4 aparelhos de mamografia

– No Hospital da Mulher Heloneida Studart em São João de Meriti existem 2 aparelhos

Principal informação: o sistema de marcação encaminha os pacientes para os locais onde existem vagas, seja no Rio Imagem, ou em qualquer local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *