Programa Saúde do Futuro

A Consulta Médica de Qualidade

Coluna Cultura de Saúde
Dr. Newton Miguel Moraes Richa - Médico do Trabalho

A Consulta Médica de Qualidade

Quanto mais informações o médico tem sobre o paciente, com maior facilidade ele estabelece as hipóteses diagnósticas, solicita os exames complementares de forma objetiva, orienta para os cuidados pessoais indicados e prescreve os medicamentos necessários. A maior parte dos diagnósticos é feita a partir da história do paciente (anamnese) e, muitas vezes, o médico constata apenas a necessidade de uma palavra de conforto ou uma orientação, e não de medicamentos. Este é o caminho para se assegurar a resolutividade, que é a capacidade de resolver situações relacionadas à saúde/doença dos usuários e/ou atendê-los de forma adequada, em todos os níveis de atenção.

Ao se dirigir para uma consulta médica, a pessoa deve ter em mente que o mais importante é transmitir sua história ao médico e ser corretamente examinada por ele. No atendimento, o médico deve assegurar o acolhimento, que significa a atenção a cada pessoa, abrangendo a escuta, a valorização das queixas, a identificação de necessidades e o estabelecimento de uma sequência de atos e modos que compõem o processo de trabalho efetivo em saúde. Cada pessoa deve estar ciente de que os medicamentos e os venenos se diferenciam apenas pela dose, Por isso deve conhecer os efeitos colaterais dos medicamentos que tomam, evitar estoques de medicamentos em casa e que não deve recomendar medicamentos para amigos e vizinhos.

O acolhimento permite que se estabeleça um vínculo de confiança, o elo principal para um desfecho eficaz da consulta. Desse modo, o acolhimento tem como objetivos: 1- Compreender o motivo da consulta, levando em consideração o contexto em que o paciente está inserido; 2- Identificar as necessidades de saúde do paciente; e 3- Dar encaminhamento aos problemas apresentados, utilizando-se de outros profissionais (especialistas) ou serviços (exames complementares e tratamentos), quando for o caso.

O médico deve respeitar, sempre, um dos princípios fundamentais da profissão: primum non nocere ou seja, antes de tudo não causar dano e, nessa perspectiva, fazer a prescrição de medicamentos com cautela, com base no conhecimento dos efeitos adversos do seu uso prolongado, tendo em vista que os melhores médicos prescrevem menos remédios.

Saúde: melhor compreender para melhor cuidar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *