Notícias

14 de abril agora é o Dia Mundial de Chagas.

6946430257_352ee3ed2f_b
Por:  Rafael Laet

A iniciativa de criar uma data oficial para ações de conscientização sobre a doença foi conduzida pelo mundo todo, e após aproximadamente 100 anos de negligencia as pessoas afetadas por esta doença finalmente conseguiram uma vitória importante. A decisão foi tomada em vista das novas características da doença que reforçam a sua questão endêmica entre 21 países da América Latina, mas também presente em diversos lugares do mundo.

Conduzida por associações de pessoas afetadas em todo o mundo o projeto recebeu o apoio de diversas organizações como os Médicos Sem Fronteiras (MSF), a Netherlands Hanseniasis Relief (NHR – Brasil), o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), e outras. “Acreditamos que a data vai ajudar a tirar da invisibilidade milhões de pessoas que têm a doença e hoje não têm acesso a diagnóstico e tratamento”, disse Vitória Ramos, especialista em assuntos humanitários de MSF.

Neste 14 de abril, MSF e outras entidades lançaram, junto com a FINDECHAGAS (Federação Internacional de Associações de Pessoas Afetadas pela doença de Chagas) uma petição online em prol da criação do Dia Mundial, arrecadando mais de 10 mil de assinaturas. O documento foi entregue durante a 72°Assembleia Mundial da Saúde (OMS) que ocorreu entre 20 e 28 de maio em Genebra.

A data não foi escolhida deliberadamente, foi em 14 de abril 1909 que o médico brasileiro Carlos Chagas realizou o primeiro diagnóstico da enfermidade causada pelo parasita Trypanosoma Cruzi, na menina Berenice Soares de apenas 2 anos. Ao concluir seu trabalho a partir de exames com o sangue da menina no dia seguinte o cientista já escrevera anotações descrevendo todo o ciclo da doença causada pelo protozoário.

Hoje a doença de Chagas tornou-se um problema de saúde global que afeta mais de 8 milhões de pessoas, com mais de 60 milhões sob o risco de adquiri-la. “A mobilização dos pacientes acometidos em parceria com a população civil de diferentes categorias profissionais foi capaz de catalisar forças para mostrar o grande impacto da doença de Chagas… indivíduos na forma clínica ‘silenciosa’, ou mesmo os pacientes sintomáticos não mais passarão desapercebidos no contexto mundial. E ações de vigilância e controle integradas e ativas serão cobradas pela OMS em todos os países acometidos”.

Ao fortalecer a mobilização social, e a união de forças para o enfrentamento desta doença que outrora fora negligenciada, a decisão da OMS foca em oficializar o processo para prevenir futuros riscos, e possibilitar que diversas destas pessoas afetadas pelo agravo possam voltar a participar plenamente da sociedade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *